Investigado perdão fiscal de Pinho à justiça

Ex-ministro terá recebido mais de três milhões do GES.
Por António Sérgio Azenha|09.11.18
O Banco de Portugal (BdP) já enviou ao Ministério Público os dados sobre a legalização da fortuna que Manuel Pinho, antigo ministro da Economia do Governo de Sócrates, fez ao abrigo do Regime Excecional de Regularização Tributária (RERT).

Com a adesão ao RERT, criado pelo Governo de Sócrates em 2005, o ex-governante legalizou o dinheiro que tinha no estrangeiro, pagando uma taxa de IRS de 7,5%. Pinho terá recebido do Grupo Espírito Santo (GES) mais de três milhões de euros entre 2002 e 2014.

Desse total, mais de 1,2 milhões de euros foram pagos no período em que foi ministro, de março de 2005 a junho de 2009. A declaração de adesão de Pinho ao RERT foi enviada pelo BdP esta semana ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), que a pedira em julho último. No RERT são identificados os investimentos e respetivos montantes em ações, obrigações e depósitos a prazo, entre outros produtos financeiros, bem como os bancos em que está esse património.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!