Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Bar paga 5 mil euros a bailarinas mas nega prostituição

Arguida admitiu que explorava o bar de alterne e striptease Impacto Club.
P.G. 16 de Maio de 2019 às 08:23
Arguidos julgados em Coimbra
Tribunal de Coimbra
Tribunal de Coimbra
Arguidos julgados em Coimbra
Tribunal de Coimbra
Tribunal de Coimbra
Arguidos julgados em Coimbra
Tribunal de Coimbra
Tribunal de Coimbra
A principal arguida de um caso de lenocínio e auxílio à imigração ilegal admitiu esta quarta-feira, no Tribunal de Coimbra, que explorava o bar de alterne e striptease Impacto Club, mas negou que as mulheres se dedicassem à prostituição.

Disse que eram bailarinas que contratava a agências – ganhavam 5 mil euros por mês.

A arguida já foi condenada por ter explorado uma casa de prostituição.
Tribunal de Coimbra Impacto Club crime lei e justiça julgamentos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)