Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Barricado em casa ameaça militares

O que começou por ser uma situação de conflito familiar passou rapidamente para um caso de tensão envolvendo as forças de elite da GNR, que durou várias horas.
23 de Abril de 2013 às 01:00
Luís Valente, 73 anos, barricou-se várias horas, até à entrada das forças de elite da GNR
Luís Valente, 73 anos, barricou-se várias horas, até à entrada das forças de elite da GNR FOTO: Eduardo Martins

Luís Valente, de 73 anos, tinha-se fechado no quarto, durante a manhã, e recusava--se a falar com a família. Já o tinha feito noutras alturas, mas depois saíra de livre vontade.

Ontem, o filho alertou a GNR ao final da tarde. Avisou que o pai se mantinha fechado na casa e disse temer que aquele se suicidasse. Deu conta de que estaria armado.

A GNR foi à casa, na rua de Cidres, em Santa Cruz do Bispo, Matosinhos, e tentou falar com o homem, proprietário de um restaurante. A resposta pronta - de que dispararia se alguém tentasse entrar no espaço - levou as autoridades a pedirem reforço.

Em poucas horas, a pacata rua foi inundada de polícias. A artéria foi cortada nos dois sentidos, as ambulâncias do INEM acabaram por preencher um espaço já ocupado por mais de uma dezena de carros da GNR.

Os negociadores chegaram de Lisboa já passava da meia-noite. O homem recusou qualquer conversa, e a tensão aumentou quando o comerciante veio à janela e colocou um lençol na varanda. As autoridades admitiram que se pudesse enforcar.

Às quatro horas, dois petardos assustaram Luís Valente. Foram lançados do exterior, o homem aproximou-se da janela e perdeu concentração. Foi o suficiente para os polícias arrombarem a porta, entrarem no quarto e dominarem-no. Foi levado para um hospital psiquiátrico. n

MATOSINHOS BARRICADO AMEAÇA MILITARES
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)