Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Bebé de 18 meses entregue à ama com marcas de agressão

Padrasto entregou menino ferido à ama, que deu o alerta, em Oeiras.
Miguel Curado, Tânia Laranjo e Francisca Genésio 26 de Outubro de 2019 às 01:30
Menino está internado, em estado grave, no Hospital de S. Francisco Xavier, em Lisboa
Hospital São Francisco Xavier
Hospital São Francisco Xavier
Menino está internado, em estado grave, no Hospital de S. Francisco Xavier, em Lisboa
Hospital São Francisco Xavier
Hospital São Francisco Xavier
Menino está internado, em estado grave, no Hospital de S. Francisco Xavier, em Lisboa
Hospital São Francisco Xavier
Hospital São Francisco Xavier
Com a cara e o corpo cobertos de hematomas, uma hemorragia na boca e a sangrar, o bebé de 18 meses foi entregue pelo padrasto à ama, esta sexta-feira de manhã, no Dafundo, em Oeiras.

Questionado sobre os ferimentos, que pareciam marcas de agressão, o homem desvalorizou e disse que o menino tinha caído na banheira.

A mulher não acreditou e quando o padrasto saiu, chamou a avó materna que levou de imediato a criança – que perdeu a consciência várias vezes – para o centro de saúde. O estado em que o menino se encontrava levou a acionar, de urgência, o INEM que transportou a criança para o hospital.

O menor deu entrada às 13h15 desta sexta-feira na Urgência Pediátrica do Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, em estado considerado grave e ficou internado para ser assistido e também para ser apurada a origem dos ferimentos.

Quando confrontada pela ama sobre a justificação do padrasto para os hematomas – uma queda na banheira – a avó materna afirmou que isso seria impossível porque o menino toma banho numa banheira de plástico própria para bebés.
A PSP tomou conhecimento do caso. A Polícia Judiciária foi alertada e já ouviu o médico que sinalizou o caso.

Não foram efetuadas quaisquer detenções, por inexistência de elementos sobre a alegada agressão. A prioridade neste momento é salvar a vida do bebé, não sendo possível à equipa médica verificar se há lesões antigas ou se as lesões apresentadas pelo menino são compatíveis com a possibilidade de uma queda.

PORMENORES
Sem problemas
Segundo o Correio da Manhã apurou, a família do bebé ferido não estará sinalizada pela Segurança Social nem pelas autoridades por nenhum tipo de crime, carência social ou económica.

Centro de saúde
A avaliação dos profissionais do Centro de Saúde do Dafundo foi determinante para encaminhar o bebé com urgência, devido à gravidade dos ferimentos, para o hospital onde ficou internado.

Interrogados
Um dos primeiros passos da investigação é interrogar todos os envolvidos, incluindo a mãe, o padrasto, a ama e a avó materna, a fim de apurar as causas dos ferimentos do menor.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)