Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

BEBÉ RESGATADO EM ÁFRICA

Uma mulher de 34 anos viajou da Batalha até à África do Sul à procura do filho, que não via desde Janeiro. O reencontro deu-se na terça-feira à noite, no aeroporto de Joanesburgo, quando o pai da criança se aprontava para entrar num avião com o menino.
16 de Setembro de 2004 às 00:00
Quem assistiu à cena garante que a criança, de três anos, foi a que menos se impressionou. Mas o facto é que, anteontem, os passageiros presentes no aeroporto internacional da capital da África do Sul assistiram a um escândalo à portuguesa.
Ricardo Gomes, empresário de 33 anos, preparava-se para abandonar o país com o filho, quando foi surpreendido pela ex-mulher, a quem o tribunal concedeu a custódia provisória do menino. Como ambos estavam acompanhados de amigos, ainda se gerou algum burburinho no terminal, mas a criança acabou por ser entregue à mãe sem haver confrontos físicos.
A aventura de Ernâni Júnior, a criança envolvida nesta disputa de poder paternal, começou em 2002, data em que Ricardo Gomes e Rosa Santana se separaram. Rosa decidiu abandonar a África do Sul e regressar a casa dos pais, na Batalha. Com ela veio o Júnior, por consentimento do ex-marido, que contava vir para Portugal “assim que resolvesse um problema na empresa” de que fora sócio. Como o contencioso se foi arrastando, Ricardo Gomes passou a deslocar-se à Batalha com regularidade, para estar com o filho. E foi manifestando a intenção de levá-lo, “por um mês ou dois”, para Joanesburgo. Após a recusa da mãe, o empresário requisitou um passaporte para o menino, no Consulado de Joanesburgo e, em Janeiro, partiu com ele sem a mãe saber.
Rosa Santana queixou-se às autoridades e a custódia provisória foi-lhe atribuída em Julho. Segundo o pai, Anarolino Santana, “ela já não aguentava mais”. Há três semanas, partiu para a África do Sul, levando na bagagem centenas de cartazes com a foto do ex-marido e do filho. Distribuiu os panfletos pelos cantos de Joanesburgo e correu a cidade de lés a lés até receber a informação preciosa que a levou ao reencontro com o filho.
MONTARM-NE UMA CILADA
Ricardo e Rosa, ambos da Batalha, casaram em 1998 e emigraram para África do Sul, onde o empresário montou uma firma de coberturas metálicas, com dois sócios. O Ernâni nasceu em Novembro de 2000, mas dois anos depois o casal separou-se.
Há nove meses, Ricardo decidiu levar o filho para a África do Sul “por uns meses”, mas Rosa fez queixa dele, alegando que a criança foi raptada. “Foi uma cilada que me montaram. Eu não brinco com a Lei”, disse ontem o empresário. Ricardo Gomes garante que nunca foi notificado pelo tribunal e não fugiu à ex-mulher. Quanto ao voo que pretendia fazer com o filho, afiança que queria vir para Portugal, via Paris, para evitar “expor mais o menino”.
TENSÃO NO TERMINAL
REGULAÇÃO
Na ausência de acordo entre os pais, cabe ao Tribunal determinar a quem será confiado filho e atribuir o poder paternal. Os pais podem combinar resolver assuntos em conjunto.
CONFUSÃO
O resgate da criança provocou momentos de tensão no aeroporto. Jorge Duarte, jornalista de uma publicação local, queixa-se que lhe estragaram a máquina quando tirava uma foto.
SILÊNCIO
Rosa Santana esteve ontem incontactável todo o dia. Na terça-feira telefonou aos pais a dar conta que já tinha a criança nos seus braços, mas não disse quando pensava regressar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)