Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Bióloga contrariava interesses instalados

Para os amigos da bióloga portuguesa Margarida Maria Mattos Bartolomeu, 49 anos, encontrada morta na semana passada na sua casa em S. Pedro da Aldeia, litoral do Rio de Janeiro, Brasil, o crime foi encomendado. Ambientalista acérrima e defensora de áreas de preservação cobiçadas por especuladores imobiliários, Margarida conquistou muitos inimigos por contrariar interesses na região.
12 de Maio de 2010 às 00:30
Margarida Bartolomeu
Margarida Bartolomeu FOTO: direitos reservados

"A Margarida tinha entrado no ramo da fabricação de gelo e estava a conseguir vender gelo aos pescadores a preços abaixo do normal, praticamente a preço de custo, batendo de frente com distribuidores muito fortes", relata a fotógrafa Bruna Possebon, amiga da bióloga portuguesa, que também não acredita na hipótese de morte durante roubo. A polícia investiga tanto a hipótese de roubo como uma vingança devido à actividade da ambientalista e ainda crime passional, mantendo todas as possibilidades em aberto.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)