Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

“Bom senso” para valorar provas

O advogado Germano Marques da Silva defendeu ontem que as regras de interpretação e valoração de provas em julgamento devem basear-se no bom senso e na experiência de vida.

19 de Junho de 2011 às 00:30
Germano Marques da Silva
Germano Marques da Silva FOTO: Vítor Mota

"Quando chegamos ao momento da valoração, o que precisamos é de bom senso e prudência, que não se adquirem a estudar Direito. Adquire-se na vida", sublinhou, num seminário na Figueira da Foz organizado pela Associação Sindical dos Juízes, Ordem dos Advogados e Sindicato dos Magistrados do Ministério Público.

Para Germano Marques da Silva, o problema dos portugueses em matéria de Justiça é a desconfiança. "Não confiamos em ninguém e por isso temos códigos enormes e quando se faz uma alteração é para complicar", referiu.

Ver comentários