Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Bombeira morre a caminho de incêndio

Uma bombeira dos Municipais de Abrantes morreu na tarde deste sábado no despiste do auto tanque em que seguia, a caminho que deflagrou em Bemposta e Vale das Mós, na EN2, em Vale de Cortiço.

22 de Julho de 2012 às 01:00
Paulina Pereira morreu no despiste do autotanque
Paulina Pereira morreu no despiste do autotanque FOTO: Carlos Barroso

Segundo o CM apurou no local, o autotanque subiu a barreira, do lado directo da via, e embateu no tronco de uma árvore, após o que saiu da estrada, para o lado esquerdo, derrubou uma vedação e desceu um terreno agrícola, onde se imobilizou.

Paulina Pereira, 46 anos, solteira, residente no Pego, teve morte imediata e o motorista, Ricardo Daniel, 23 anos, - filho de outro bombeiro - ficou em estado de choque e teve de receber apoio psiquiátrico.

Com mais de 15 anos de serviço, Paulina Pereira era bombeira profissional e acumulava o trabalho como operadora na central de comunicações com as operações de socorro e de combate a fogos.

"Era uma bombeira fantástica, com uma capacidade de trabalho extraordinária", disse a presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, lamentando a sua morte, em circunstâncias "tão difíceis".

O corpo de bombeiros está "completamente desfeito", adiantou a autarca, revelando que os companheiros da bombeira falecida estão a receber apoio psicológico.

O comandante distrital de operações de socorro, Joaquim Chambel, destacou as "qualidades" de Paulina Pereira, que tinha "muitos anos de serviço" e era "uma profissional excelente e muito querida por todos". "Morreu em serviço, a caminho de um incêndio".

Os bombeiros de Abrantes recolheram ao quartel assim que foram substituídos, no teatro de operações, por elementos de outras corporações. Além do incêndio em Bemposta, deflagrou ainda outro no Pego, próximo de habitações. Ambos estavam extintos ao início da noite.

Bombeira morre caminho incêndio Abrantes autotanque Municipais despiste
Ver comentários