Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Bombeiros em parada

A criação de equipas de intervenção permanentes e comandantes municipais profissionais vão ser discutidas entre o Ministério da Administração Interna (MAI) a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) e a Associação Nacional de Município (ANMP), anunciou ontem o ministro António Costa.
19 de Novembro de 2006 às 00:00
Numa cerimónia de reconhecimento ao dispositivo de combate aos incêndios florestais, que decorreu no Parque das Nações, Lisboa, com a presença do primeiro-ministro José Sócrates e outros membros do Executivo, foram também homenageados os quatro bombeiros portugueses e cinco chilenos que perderam a vida no combate aos fogos do último Verão, com a entrega de medalhas aos seus representantes.
António Costa anunciou ainda que vão ser entregues à LBP dois diplomas, sobre a definição do regime jurídico das associações e dos bombeiros lusos.
Duarte Caldeira, presidente da LBP, reagiu positivamente ao “anúncio público que formaliza o compromisso que o Governo tinha assumido”. No próximo sábado, aquando do congresso nacional da LBP, este organismo anunciará as suas análises aos diplomas.
O presidente da Liga lembrou que as equipas de intervenção permanente são uma reivindicação já com seis anos e correspondem a “uma resposta correcta às necessidades do socorro hoje, com uma base de profissionalização”.
“Na nossa calendarização, prevíamos a criação de 100 equipas em 2007, outras 100 em 2008 e as restantes 78 em 2009. Agora resta ver qual a proposta do Governo”, disse Duarte Caldeira.
Para a questão dos comandantes municipais subsistem ainda dúvidas sobre como será feita a articulação entre os níveis municipal e distrital, nomeadamente porque os comandantes municipais dependerão dos presidentes de Câmara e estes não dependem da Administração Central.
José Sócrates, em declarações aos jornalistas considerou que “a forma como decorreu o combate aos incêndios foi um bom trabalho”. Para António Costa subsistiram aspectos negativos sobretudo na prevenção e detecção e na fraca eficácia dos rescaldos, que levou a reacendimentos.
EQUIPAMENTO CHEGOU NA VÉSPERA DA FESTA
O equipamento de protecção individual para o combate aos fogos florestais, que devia ter sido entregue antes do Verão, esteve a ser distribuído na madrugada de ontem pelos quartéis de bombeiros do distrito de Leiria. “A última entrega de casacos e calças verificou-se às 02h00”, revelou José Ferreira, presidente da Federação de Bombeiros do Distrito de Leiria (FBDL), que não se fez representar na homenagem de Lisboa. O responsável não aceita que se faça uma cerimónia destas “e não se pague às corporações envolvidas no combate aos fogos”. A Federação de Coimbra também não compareceu.
HERÓIS
GUARDA
Um bombeiro dos Voluntários de S. Gonçalo, Sérgio Rocha, e cinco sapadores chilenos perderam a vida num incêndio em Famalição da Serra, Guarda, a 9 de Julho.
FEIRA
O despiste de um autotanque, quando se deslocava para um fogo florestal, causou a morte a Micael Pinto, dos Voluntários da Arrifana, a 12 de Julho.
PORTO DE MÓS
Uma bombeira do Bombarral, operadora de comunicações morreu, por monóxido de carbono, na viatura de comando, num incêndio na Serra dos Candeeiros a 11 de Agosto.
M. CANAVESES
O despiste de um jipe dos Voluntários do Porto, na A4, junto a Marco de Canaveses, quando iam para um fogo, matou Joel Gomes, a 13 de Agosto.
Ver comentários