Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Bombeiros evitam homicídio numa casa em Viana do Castelo

Vinga-se de amigo ao incendiar o colchão em que este dormia.
Liliana Rodrigues 14 de Setembro de 2019 às 01:30
‘Mário de Âncora’ foi detido pela PJ de Braga e levado ao tribunal, ontem
Justiça
Justiça
‘Mário de Âncora’ foi detido pela PJ de Braga e levado ao tribunal, ontem
Justiça
Justiça
‘Mário de Âncora’ foi detido pela PJ de Braga e levado ao tribunal, ontem
Justiça
Justiça
As discussões eram frequentes entre os dois homens que viviam numa casa devoluta, no centro de Viana do Castelo. Na noite de 9 de agosto, um deles esperou que o outro se fosse deitar, após mais um desentendimento fútil, e, sabendo que tomava medicação para dormir, regou a casa e o quarto do homem com álcool etílico, ateando-lhe fogo.

As chamas propagaram-se rapidamente e a vítima só não morreu graças a um bombeiro que o encontrou e resgatou, já com a cabeça e os braços queimados, no colchão a arder. A vítima só acordou no hospital.

O incendiário, um cadastrado de 67 anos conhecido pela alcunha de ‘Mário de Âncora’ e que é temido na região por ter comportamentos violentos e já ter cumprido várias penas de prisão, agiu por vingança e acabou por ser detido pela Policia Judiciária de Braga, a quem confessou outro crime: incendiou, recentemente, o carro da funcionária de uma pensão, onde chegou a pernoitar, por esta recusar uma proposta de relacionamento amoroso.

Presente a tribunal, o juiz aplicou-lhe a medida de coação mais grave: vai aguardar julgamento na cadeia.
Viana do Castelo crime lei e justiça prisão crime questões sociais acidentes e desastres incêndios
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)