Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Bombeiros receberem 187 pedidos de auxílio

Os Bombeiros Sapadores de Lisboa receberam 187 pedidos de auxílio entre as 14 horas e as 23 horas de quinta-feira devido à chuva forte que causou inundações, quedas de árvores e acidentes, adiantou uma fonte do regimento.
7 de Dezembro de 2012 às 09:04
Bombeiros, chuvas, pedidos
Bombeiros, chuvas, pedidos FOTO: d.r.

A maior parte das chamadas deveu-se a inundações em casas e na via pública, algerozes e sarjetas entupidos, coberturas danificadas e uma queda de árvore, adiantou a fonte.

Os bombeiros tiveram também de intervir em vários túneis rodoviários de Lisboa para desentupir sarjetas e restabelecer a circulação, com a situação mais complicada a registar-se no túnel da Avenida Santo Condestável.

"Estas situações ocorreram entre as 14 horas e as 23 horas, período em que a chuva era de fato muito forte. Durante a noite a chuva acalmou e tivemos, entre as 23 horas e as 7 horas apenas 14 serviços relativos só a pequenas inundações na via pública e uma queda de árvore", adiantou a mesma fonte.

Também a PSP trânsito disse que até às 23 horas de quinta-feira registaram devido à chuva forte, vários acidentes, mas sem causar vítimas.

"Estamos a falar sobretudo de alguns toques e acidentes provocados pelo levantamento de tampas de esgoto, mas depois a situação acalmou", contou.

Em Oeiras, a situação, de acordo com o comandante dos bombeiros locais, José Manuel Pereira, ficou mais calma cerca da 1h30 depois de a ribeira da Laje ter transbordado, causando inundações nas ruas circundantes e obrigou ao corte do trânsito na Marginal.

Esta sexta-feira de manhã, o comandante José Manuel Pereira disse que a ribeira da Laje transbordou "devido à conjugação da maré cheia do rio Tejo, onde desagua [na Praia de Santo Amaro de Oeiras], e a chuva intensa".

Quantos aos cerca de 50 carros que ficaram parcialmente submersos num parque de estacionamento ao lado da ribeira, os bombeiros retiraram alguns e a assistência em viagem de cada condutor estava a tratar dos restantes.

O comandante dos Bombeiros de Oeiras adiantou ainda  que vai estar às 9 horas juntamente com o presidente da Junta de freguesia de Oeiras e S. Julião da Barra, Carlos Morgado, e a Protecção Civil no pavilhão municipal, que fica no jardim municipal da cidade, para escoar a água e fazer uma avaliação dos danos.

Bombeiros chuvas pedidos
Ver comentários