Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Boxers tramam militar violador

Abusador retido na unidade enquanto inquérito decorre.
Miguel Curado 16 de Novembro de 2019 às 10:19
Tribunal
Tribunal
Tribunal xxx
Tribunal xxx
Tribunal
Tribunal
Tribunal
Tribunal xxx
Tribunal xxx
Tribunal
Tribunal
Tribunal
Tribunal xxx
Tribunal xxx
Tribunal
O militar, ao que tudo indica da Força Aérea e que foi constituído arguido pela violação de uma colega do Exército num quartel das Forças Armadas, foi traído pelos boxers que deixou no quarto da vítima após o crime.

Foi a mãe da militar violada quem o revelou ao CM. Pedindo anonimato, explicou que a jovem já conhecia o predador sexual há meses, por trabalharem no mesmo quartel.

"Apesar de ele ter mulher e uma filha bebé, fazia avanços sobre a minha filha. Ela sempre recusou", garantiu a mãe. Na terça-feira, os dois colegas cruzaram-se no bar da unidade. O que se passou a seguir é investigado pela Polícia Judiciária Militar (PJ-M), mas, segundo acredita a familiar da militar, "alguma droga foi deitada numa bebida".

"A minha filha deve ter adormecido, acordou sem se lembrar de nada, nua e deitada na cama do quarto", explicou. A jovem pediu socorro aos superiores e, em poucos minutos, ganhou forma a suspeita de que a militar tinha sido violada. A descoberta de um par de boxers de homem num caixote do lixo no quarto serviu de prova.

A peça de vestuário terá sido enviada para análise pericial e serviu para chegar à identidade do agressor sexual. O militar foi constituído arguido pelo crime de abuso sexual de pessoa incapaz de resistência e está retido na unidade como medida cautelar.

Quanto à vítima, está ausente do trabalho. "Ela fez exames no Instituto de Medicina Legal, e está a ser seguida por um psicólogo. Está muito mal", concluiu a mãe.
Força Aérea Forças Armadas crime lei e justiça crime crimes sexuais questões sociais polícia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)