Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Brincadeira incendiária

Foi uma brincadeira que quase acabou em tragédia. Uma criança de 12 anos saiu de casa, na Quinta da Granja, Monte da Caparica, ontem de manhã, com um frasco de álcool e um isqueiro para ir brincar com os amigos, dois irmãos de 10 e 12 anos.
29 de Agosto de 2005 às 00:00
As crianças entretinham-se a brincar neste local. Uma levou um frasco de álcool e incendiou-o. O fogo pegou-se ao mato
As crianças entretinham-se a brincar neste local. Uma levou um frasco de álcool e incendiou-o. O fogo pegou-se ao mato FOTO: Natália Ferraz
A brincadeira acabou mal e atearam um incêndio numa zona com muito mato. Os três acabaram no Hospital Garcia de Horta com queimaduras de segundo grau na cara e nos membros superiores. O mais velho dos dois irmão sofreu ainda a fractura de uma perna. A meio da tarde já as três crianças tinham tido alta hospitalar.
A criança que levou o álcool e o isqueiro de casa contou ao CM que o incidente foi apenas uma brincadeira: “Eu levei o álcool e o isqueiro quando fomos brincar de manhã. O meu amigo despejou um bocado de álcool no chão e acendeu, mas o frasco também começou a arder. Ele pisou o frasco para tentar apagar, mas aquilo saltou tudo para cima de nós. Tentámos fugir dali, mas o meu amigo caiu e aleijou-se na perna”, relatou o menor.
Na face e nos braços do jovem eram visíveis as queimaduras. Nos olhos, o susto. Os pais preferem não comentar o sucedido afirmando que estavam a trabalhar na altura do acidente e só foram ter com o filho ao hospital.
A família dos dois irmãos não dá destaque ao sucedido. “Foi um acidente, os miúdos ainda estão assustados, mas estão bem”, disse a madrasta dos dois irmãos ao CM. Isto numa altura em que as duas crianças já estavam em casa, a recuperar dos ferimentos.
Para os Bombeiros Voluntários da Trafaria, que foram chamados às 10h38, tudo aponta que tenha sido um acidente, mas que podia e devia ter sido evitado. O sítio onde o fogo deflagrou, e onde os três amigos costumam brincar, é um descampado, perto da sua casa, com muito mato e algumas árvores que fica contíguo a um infantário e está rodeado de prédios. “Foi uma sorte não ter ardido a creche também”, confessou um elemento dos bombeiros. Foram precisos onze bombeiros e quatro viaturas para controlar o incêndio. Duas ambulâncias trataram da evacuação das crianças para o Hospital Garcia de Horta.
Para a vizinhança este é um acidente que só surpreende por não ter acontecido há mais tempo. “Isto era um lugar tão calminho, mas de há um tempo para cá é só barulho e confusões como a de hoje. Quando não é de noite, é de dia. Não há sossego”, dizia, a meio da tarde, uma idosa no largo principal da Quinta da Granja. Outro vizinho, que também preferiu o anonimato, afirma que aquela zona “é uma desgraça. São as obras do Metro, os bairros sociais aqui à volta e agora estas crianças que passam o dia sozinhas, na rua, sem ninguém para tomar conta delas”. A culpa nem é dos miúdos...”, lamentou.
Apesar de o fogo ter sido considerado um acidente, os bombeiros comunicaram a ocorrência à GNR da Trafaria que entregou a investigação à Polícia Judiciária.
TEMPERATURAS VÃO SUBIR HOJE
A temperatura vai subir hoje em todo o País, atingindo os 36 graus em Castelo Branco e Beja, 35 em Bragança, 34 em Santarém e 30 na Guarda, Coimbra e Lisboa. Sobe assim o risco de incêndios florestais, estando Bragança e Vila Real no ‘máximo’. Viana do Castelo, Porto, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Coimbra e Leiria estarão em ‘muito elevado’.
Ontem, apesar de as temperaturas terem subido no Centro, foi um dos dias mais calmos das últimas semanas para os bombeiros. Às 19h00, estavam apenas dois fogos não circunscritos, em Santa Maria da Feira (Aveiro) e Castro Daire (Viseu). O flagelo dos fogos em Portugal tem sido noticiado com destaque em todo o mundo. Ontem, o ‘El País’ (um dos principais jornais espanhóis) destacava-os no seu editorial, realçando a tristeza dos portugueses em ver o País arder pelo terceiro ano consecutivo.
PORMENORES
SOZINHO EM CASA
Quando a criança de 12 anos levou de casa o álcool e o isqueiro estava sozinha. Segundo os vizinhos esta é uma situação normal desde que está de férias uma vez que os pais têm de ir trabalhar.
INFANTÁRIO EM RISCO
Um infantário chegou a estar em risco mas não foi atingido pelas chamas graças à rápida intervenção dos Bombeiros da Trafaria. O mato seco, o lixo espalhado pelo local e o vento forte dificultaram a extinção das chamas.
‘CASA NA ÁRVORE’
O sítio onde deflagrou o incêndio é local habitual para as brincadeiras das crianças daquela zona. Este Verão tinham construído uma ‘casa na árvore’ aproveitando o tronco e os ramos de uma oliveira. Essa casa não ardeu.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)