Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

BRINQUEDOS PERIGOSOS

Brinquedos com peças de encaixe, redondas ou semi-redondas, com pontas aguçadas, bonecos e peluches com acessórios que podem ser facilmente retirados e engolidos ou enfiados no nariz e ouvidos, pistolas que lançam projécteis que podem acertar num olho, andarilhos ou cadeiras de banho para bebé são exemplos de brinquedos e artigos destinados a crianças que são potencialmente perigosos por poderem causar acidente.
2 de Dezembro de 2003 às 00:00
Atenção aos brinquedos que se compram: são seguros ou podem ser perigosos? Questão a ter em conta
Atenção aos brinquedos que se compram: são seguros ou podem ser perigosos? Questão a ter em conta FOTO: Sven Nackstrnad/afp
O mais grave é que a marca CE - símbolo de certificação de qualidade da União Europeia - não é garantia de segurança. Um alerta para pais e familiares em época de compras de Natal.
"Os pais devem estar sempre muito atentos aos brinquedos que compram, porque há muitos acessórios que são facilmente engolidos e todos os anos há acidentes com crianças que têm de ser socorridas nas urgências hospitalares", alerta Jorge Morgado, secretário-geral da DECO, Associação de Defesa do Consumidor.
"Todos os brinquedos devem ter a marca CE, é obrigatório por lei, mas não é garantia que o brinquedo seja seguro, porque atribui a responsabilidade ao fabricante no cumprimento das normas europeias de segurança e qualidade, sem que haja uma terceira entidade que os analise. Além disso há as importações paralelas, clandestinas, por exemplo de países asiáticos que, apesar de serem obrigados a cumprir a lei, vemos que isso nem sempre acontece", declara Jorge Morgado, que defende uma maior fiscalização da Inspecção-Geral das Actividades Económicas.
Por isso, os educadores devem estar, na sua opinião, mais preocupados e não confiar cegamente na rotulagem do brinquedo.
Helena Menezes, presidente da APSI - Associação de Promoção da Segurança Infantil -, admite que alguns dos cerca de 500 mil novos brinquedos que, em média, entram por ano no mercado nacional sejam potencialmente perigosos.
"Os pais devem desconfiar quando a rotulagem do brinquedo não vem em português. Muitas vezes o fabricante coloca na etiqueta uma idade superior para se descartar de eventuais responsabilidades que possam advir com acidentes", sublinha. l
DESARRUMAÇÃO CAUSA ACIDENTE
A maioria dos acidentes domésticos que ocorrem com brinquedos deve-se à falta de arrumação dos mesmos em casa. A desarrumação acaba por ser um factor de perigo para crianças e adultos.
"Brinquedos desarrumados, espalhados pela casa, podendo ser pisados, provocar tropeções e, consequentemente quedas, são uma das principais causas dos acidentes domésticos e é necessário educar as crianças para que se habituem a arrumá-los depois de os utilizarem, de ter o espaço próprio de arrumação para os brinquedos", alerta Helena Menezes, da APSI. Os andarilhos são um artigo que proporciona uma "excessiva mobilidade" à criança pequena e que revela elevada taxa de acidentes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)