Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Burlas em crédito

O anúncio aparecia em letras garrafais num jornal nacional: crédito até cinco mil euros com facilidade de pagamento. Em dificuldades, Maria Elvira, de 63 anos, foi atrás da "salvação para as dívidas" que a Creditbank prometia. Mas tudo acabou em mais um problema. A sexagenária foi uma das três vítimas que apresentaram queixa na GNR que caíram na burla, mas é admissível que existam mais lesados.
25 de Janeiro de 2010 às 00:30
No meio dos papéis do contrato vinha um que permitiu aos burlões fazer o levantamento de 421,20 euros
No meio dos papéis do contrato vinha um que permitiu aos burlões fazer o levantamento de 421,20 euros FOTO: Diogo Pinto

"Até recebo uma pensão de mil euros, mas tenho um crédito feito em 2006 onde estou a pagar 500 por mês. A isso junto mais 250 euros de renda e pouco me sobra. Como um filho me emprestou dinheiro recentemente e queria devolver-lhe, vi este anúncio e deixei-me iludir", contou ao CM, Maria Elvira, residente em Gaia, a quem a rede fraudulenta se apropriou de 421,20 euros.

A vítima começou por ler o anúncio no jornal que lhe saltou à vista. Com a ajuda de uma filha mandou uma mensagem com os seus dados pessoais. De seguida, foi contactada e marcou um encontro para acertar os pormenores do prometedor crédito.

"No meio das folhas que assinei vinha umas da Caixa Geral, onde recebo a pensão. O documento permitia fazer débitos", disse a lesada que assim abriu caminho à alegada empresa de crédito para lhe fazerem levantamentos.

"O que tinha ficado combinado era um empréstimo de 5500 euros, sendo que 500 eram para despesas do processo. Levantaram-me o dinheiro, mas nunca vi o que me prometeram", afirmou a sexagenária, já com dois meses de dívida com o banco, com o qual tem um contrato de empréstimo.

Os contactos posteriores para recuperar o dinheiro foram todos infrutíferos. "Nunca me passou pela cabeça que isto pudesse acontecer. Tinha um problema e agora tenho dois. Estou muito pior", finalizou a vítima.

PORMENORES

ENGANADO

Os três lesados – que a GNR registou a queixa – são todos residentes em Gaia. Num dos casos, um homem de 29 anos, morador em Canelas e actualmente desempregado, tal como a mulher, foi também burlado em 131,20 euros. O esquema foi o mesmo.

DESCRIÇÃO

As vítimas apontaram as autoridades a existência de pelo menos quatro pessoas que pertencem à rede. Um dos alegados vendedores apresenta-se como Paulo Gonçalves, tem cerca de 40 anos, é baixo e gordo. Há também uma mulher que atende os telefones.

NECESSIDADE

As vítimas estão numa situação débil em termos financeiros e precisam de liquidez imediata. O montante e as prestações baixas prometidas são o isco que aguça a necessidade. O processo fraudulento é normalmente rápido e sem burocracias.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)