Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Cabo Mondego candidato a monumento

O secretário de Estado do Ambiente, anuncia hoje, Dia Nacional da Conservação da Natureza, o início do processo de classificação do cabo Mondego, na Figueira da Foz, como monumento natural. Trata-se de uma área conhecida pelos seus jazigos minerais jurássicos, ou seja, de há 200 milhões de anos.
28 de Julho de 2006 às 00:00
Classificação visa assegurar integridade e protecção do cabo
Classificação visa assegurar integridade e protecção do cabo FOTO: d.r.
O cabo guarda um importante espólio de associações de fósseis, que podem dar indicações sobre os seres que há milhões de anos ali viveram ou por ali andaram.
Naquela formação geológica encontram-se icnofósseis, ou seja, vestígios de actividade vital, de que são exemplos pegadas, pistas de deslocação, marcas de dentadas, de excrementos, ovos, túneis e de galerias de habitação. Também as amonites, conchas fósseis espiraladas, são preciosas.
O Ministério do Ambiente justifica a classificação, com vista à conservação e manutenção da integridade do cabo, invocando “a qualidade exemplar dos afloramentos emersos [acima da linha da água] e submersos”.
O processo, que deve iniciar-se na segunda quinzena de Agosto, implica uma fase de inquérito público, durante 30 dias, e consulta às autarquias. Neste momento existe já uma proposta de limites geográficos e outra de decreto regulamentar que classifica o cabo Mondego como monumento natural.
Portugal tem cinco monumentos naturais: as pegadas de dinossauros de Ourém/Torres Novas (no Parque Natural das serras de Aire e Candeeiros), Carenque, Pedreira do Avelino, Pedra da Mua e Lagosteiros, os dois últimos integrados no Parque Natural da Arrábida.
Ver comentários