Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Caças F16 intercetam avião sem comunicações ao largo de Portugal

De acordo com a NATO, tratou-se do primeiro ‘scramble’ (saída de aviões caça em alerta) do ano das equipas de policiamento aéreo do território da Aliança Atlântica.
Sérgio A. Vitorino 10 de Janeiro de 2022 às 15:45
Caça F16
Caça F16 FOTO: Getty Images

Dois caças F16 da Força Aérea Portuguesa, que estavam em alerta na base de Monte Real, em Leiria, tiveram, no sábado, de ser ativados de urgência para verificar as condições de um avião comercial Boeing 737. A aeronave fazia a ligação entre o Reino Unido e as ilhas Canárias, Espanha, e ao largo de Portugal não respondeu aos contactos via rádio do controlo aéreo português, apurou o CM junto de fontes militares.

O avião comercial, de uma companhia low-cost, foi alvo de interceção sobre o oceano Atlântico e os pilotos da parelha de F16 fizeram o que, na gíria militar, se chama um ‘cockpit check’ – ou seja, verificaram visualmente se havia algum sinal suspeito na cabine de pilotagem do Boeing, como por exemplo uma situação de sequestro aéreo ou de pilotos desmaiados.

A situação foi despistada como falso alarme, as comunicações estabelecidas e o voo comercial seguiu rumo ao seu destino, enquanto os F16 regressaram a Monte Real.

De acordo com a NATO, tratou-se do primeiro ‘scramble’ (saída de aviões caça em alerta) do ano das equipas de policiamento aéreo do território da Aliança Atlântica.

Ver comentários
}