Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Cada vez nascem menos crianças

Portugal está com o índice de natalidade mais baixo de sempre. O alerta vem da Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN) que evoca números divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
27 de Setembro de 2005 às 00:00
Portugal precisaria de mais 55 mil nascimentos por ano
Portugal precisaria de mais 55 mil nascimentos por ano FOTO: Marta Vitorino
Segundo os mais recentes estudos demográficos, o índice sintético de fecundidade atingiu, no ano passado, no nosso País, um valor mínimo com um número de nascimentos inferior a 110 mil, menos 2,9 por cento do que em 2003.
Segundo a APFN, Portugal precisaria de mais 55 mil nascimentos por ano para garantir a indispensável renovação das gerações.
Actualmente, o número do buraco demográfico no nosso País já se cifra em 870 862, aumentando todos os anos em mais de 50 mil. O mesmo é dizer que cada vez há menos crianças e jovens em Portugal, sendo que o défice de cidadãos com idades entre 1 e 19 anos varia entre os 55 mil e os 30 mil, respectivamente.
Os dados do INE referem ainda que continua a verificar-se o aumento do número de divórcios ( 2,3%) e a redução do número de casamentos (- 8,5%).
Para a União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), que tem defendido a despenalização do aborto, estes são números que reflectem a dificuldade da vida das pessoas. “A precariedade e o desemprego não são palavras atiradas para o ar. São realidades. A dificuldade, por exemplo, que os jovens sentem em arranjar emprego acaba por se reflectir na formação da família”, comenta Almerinda Bento.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)