Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Cadetes salvam tartarugas

A mensagem chegou directamente a bordo e apanhou de surpresa os 47 cadetes da Escola Naval em viagem de instrução em duas corvetas da Marinha. Hoje, a N.R.P. ‘General Pereira D’Eça’ vai libertar no mar, ao largo de Portimão, cinco tartarugas recuperadas no Zoomarine.
22 de Julho de 2008 às 00:30
 Corveta ‘General Pereira D’Eça’ zarpa de Portimão às 09h00 de hoje
Corveta ‘General Pereira D’Eça’ zarpa de Portimão às 09h00 de hoje FOTO: Paulo Marcelino

É a primeira missão do género para estes alunos do terceiro ano do curso de cadetes. Jorge Luz, jovem de 24 anos, natural de Sines, que entrou para a Marinha devido à ligação da sua cidade ao mar, estava orgulhoso: "É gratificante fazer algo para ajudar, seja no que for." A mesma emoção mostrou Raquel Machado, 21 anos, da Guarda, que procurou na Marinha "o espírito de camaradagem" que lhe foi incutido por um tio com carreira naval. Esta cadete, uma das seis do curso, mostrou um brilho nos olhos ao comentar: "Uma das nossas missões é mesmo esta."

Sentia-se a bordo a ansiedade pela chegada dos animais. "A Marinha tem uma forte componente de serviço público. O País somos todos e esta associação de benfeitoria é boa para os cadetes", comentou o capitão-tenente Castela Repolho. Também para ele a missão de hoje é uma novidade.

Com 39 anos, o capitão-tenente Repolho foi promovido no mês passado ao comando da ‘General Pereira D’Eça’ e chefia a força de duas corvetas em missão de instrução desde o dia 7. Os dois navios já fizeram escala no Funchal e em Ponta Delgada e saem hoje de Portimão. Chegam a Lisboa dia 25.

"SEGUNDA OPORTUNIDADE"

"É um dia especial para um regresso a casa e uma justa e quase urgente segunda oportunidade de vida", comenta Élio Vicente, director de Ciência e Educação do Zoomarine. É um dos responsáveis pelo Centro de Reabilitação de Espécies Marinhas onde cinco tartarugas – Dayo, Dolly, Explorador, Estrunfe e Fyglia – foram recuperadas, para hoje serem devolvidas ao mar. São tartarugas comuns, mas a espécie está em vias de desaparecer. Encontradas debilitadas, feridas ou desnutridas no Sul do País, foram preparadas, duas desde 2006, para agarrarem esta nova oportunidade. n

 

 

 

Ver comentários