Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Cai ao rio Paiva a fazer rafting

João Filipe Borges, de 34 anos, está desaparecido desde as 13h00 de ontem, quando o barco, no qual descia o rio Paiva, virou junto à ponte da Bateira, em Fornos, Castelo de Paiva. Os sete elementos que fizeram a descida de rafting com a vítima, residente em Castro Daire, salvaram-se.

17 de Janeiro de 2010 às 00:30
Bombeiros de Castelo de Paiva fizeram buscas no rio, mas sem sucesso. Hoje são retomadas
Bombeiros de Castelo de Paiva fizeram buscas no rio, mas sem sucesso. Hoje são retomadas FOTO: José Rebelo

O acidente aconteceu pelas 13h00, quando uma embarcação do Rafting Clube de Paiva descia o rio. Já perto da ponte da Bateira, onde acabava o dia de aventura, as oito pessoas que estavam no barco levantaram-se para festejar a chegada e foi aí que a embarcação virou.

Enquanto sete tripulantes conseguiram nadar até à margem e salvar-se, João terá ficado preso debaixo do barco. Nunca mais foi visto.

A embarcação e o colete que tinha, bem como um remo do barco e castanholas (que servem para assinalar a mudança de direcção) foram encontradas por um pescador a três quilómetros do local do acidente. O colete apenas estava apertado na parte de baixo. Durante o dia de ontem os bombeiros fizeram buscas na água e nas margens, na tentativa de encontrar João. 'Devido à corrente, as hipóteses de ter sobrevivido não são muitas', disse Joaquim Rodrigues, comandante dos bombeiros de Castelo de Paiva .

O CM contactou a direcção do Rafting Clube de Paiva que apenas confirmou o acidente, recusando-se a prestar mais esclarecimentos.

Ontem à mesma hora, no rio Paivô, em Arouca, três embarcações viraram. No entanto, todos conseguiram salvar-se.

"ESTAVAM MUITO ABALADOS"

Ao início da noite de ontem, após intensas buscas no rio e de helicóptero, as equipas de salvamento circunscreviam-se às margens do Paiva. Durante a tarde, o barco, um remo e o colete que João Borges usava foram encontrados na localidade de Castelo, a três quilómetros do local do acidente.

"Vi um barco virado e um colete perto. Peguei no meu barco e fui até lá. O colete só estava apertado em baixo. Trouxe tudo para terra", contou ao CM Fernando Falcão, que encontrou ainda as castanholas que João Borges utilizava.

"Os amigos vieram até aqui e disseram logo que o colete e as castanholas eram dele. Coitados, estavam todos muito abalados. Nem queriam falar do que tinha acontecido", recordou Fernando.

As buscas no rio Paiva recomeçam esta manhã.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)