Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Caldeira explode e fere emigrante

"Pensámos que morríamos todas". Sem conseguir conter as lágrimas, Clotilde Amorim contou ao CM os momentos de pânico que viveu, ontem à tarde, quando uma explosão de gás destruiu a casa da irmã, em Vila Nova de Cerveira. A dona da casa, Maria Zélia Amorim, de 71 anos, sofreu queimaduras graves. Está internada no Hospital S. João, Porto.
4 de Novembro de 2011 às 01:00
A forte explosão destruiu totalmente a habitação, que está em risco de ruir
A forte explosão destruiu totalmente a habitação, que está em risco de ruir FOTO: Fátima Vilaça

"Aconteceu tudo num minuto. A minha irmã ligou a caldeira e foi tudo pelo ar", descreveu, ainda em pânico, Sameiro Amorim, outra irmã da vítima.

A explosão aconteceu ontem, cerca das 14h20. Maria Zélia, emigrante em França, tinha chegado de manhã a Vila Nova de Cerveira e, ao que o CM apurou, terá mandado substituir a garrafa do gás. Quando regressou a casa, após o almoço, acompanhada das três irmãs, desceu ao rés-do-chão para ligar a caldeira de aquecimento e provocou a explosão. A mulher sofreu queimaduras num braço. Uma das irmãs sofreu alguns cortes provocados por estilhaços de vidros, mas foi assistida no local.

Devido à violência da explosão, a estrutura da casa ficou bastante abalada. A Protecção Civil alertou para o perigo de ruir.

CALDEIRA CASA EXPLOSÃO VILA NOVA DE CERVEIRA EMIGRANTE
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)