Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Caloira exige 70 mil euros por praxe violenta

Tem hoje início, em Macedo de Cavaleiros, o julgamento que envolve o Instituto Piaget e a ex-aluna Ana Sofia Damião, que pede uma indemnização de 70 mil euros à instituição por “danos morais e patrimoniais” na sequência da praxe violenta de que foi vítima.
4 de Outubro de 2006 às 00:00
Ana Sofia Damião
Ana Sofia Damião FOTO: Luís C. Ribeiro
“Não consigo perdoar a uma instituição que tinha o dever de me apoiar num momento difícil da minha vida e, pelo contrário, usou o meu caso para que se falasse do Piaget na Comunicação Social. Vou até às últimas consequências para que seja feita justiça”, disse a jovem.
O caso remonta a Outubro de 2002, quando Ana Sofia Damião, natural de Chaves, ingressou no curso de Enfermagem. Na altura terá sido obrigada a simular orgias sexuais e outros actos que a levaram a que tivesse requerido o estatuto de antipraxe, situação que não caiu bem entre os colegas. Para evitar a violência, a jovem refugiou-se no quarto, em Macedo de Cavaleiros, e mais tarde na sua residência em Chaves, faltando às aulas e entrando em depressão. Ana Damião escreveu uma carta ao Ministério do Ensino Superior, que mandou apurar responsabilidades. O Instituto Piaget realizou um inquérito interno, que nunca teve qualquer resultado prático.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)