Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Câmara e lojistas em pé de guerra

Fiscais do mercado de Faro, acompanhados por agentes da PSP, tentaram, ontem de manhã, obrigar os proprietários dos estabelecimentos comerciais do edifício a recolher as respectivas esplanadas. Os comerciantes uniram-se e não cumpriram as ordens.
12 de Fevereiro de 2011 às 00:30
Comerciantes no mercado de Faro recusam assinar novos contratos
Comerciantes no mercado de Faro recusam assinar novos contratos FOTO: Nuno Jesus

"Foram represálias da câmara por recusarmos efectuar os novos contratos de exploração", explicou ao CM Graciete Gago, proprietária de um café no mercado de Faro. "Temos um contrato válido até 2020, e agora querem que assinemos outro, que prevê um aumento de quatro para dez euros o metro quadrado que ocupamos", explica.

Cristóvão Norte, chefe de gabinete do presidente da Câmara de Faro, explica esta atitude da autarquia: "Os contratos de 2007 são renováveis anualmente, sendo a sua denúncia legal. O mercado deve 11 milhões de euros, e no final de 2009 tinha um prejuízo mensal de 25 mil euros, suportados pelos munícipes. Apenas cinco dos 85 operadores, com negócios altamente rentáveis, recusaram assinar os novos contratos", disse.

FARO MERCADO COMERCIANTES POLÍCIAS TAXAS EXPLORAÇÃO
Ver comentários