Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Cão que atacou bebé fica em casa do avós

Criança de dois anos foi mordida na cabeça por pastor alemão na quinta-feira.
Liliana Rodrigues 16 de Setembro de 2017 às 09:36
Marta Madanços, bombeira, fez parte da equipa que socorreu a bebé
Um tio da menina levou-a até ao Serviço de Atendimento Permanente do Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto
Marta Madanços, bombeira, fez parte da equipa que socorreu a bebé
Um tio da menina levou-a até ao Serviço de Atendimento Permanente do Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto
Marta Madanços, bombeira, fez parte da equipa que socorreu a bebé
Um tio da menina levou-a até ao Serviço de Atendimento Permanente do Centro de Saúde de Cabeceiras de Basto
Uma menina de dois anos foi atacada pelo cão com o qual costuma brincar em casa dos avós, em Arco de Baúlhe, Cabeceiras de Basto. A bebé foi mordida na cabeça pelo pastor alemão, na passada quinta-feira, pelas 19h45. O animal continua entregue aos proprietários por decisão do veterinário municipal. A criança já está em casa, a recuperar dos ferimentos sofridos.

"Toda a documentação do cão está em ordem, bem como as vacinas. Como está preso, vai continuar à guarda do avô da criança e faremos visitas periódicas para acompanhar a evolução da situação", explicou ontem ao CM António Vieira Leite, veterinário municipal de Cabeceiras de Basto.

A criança foi atacada pelo animal ao início da noite e levada de imediato pelo tio para o Serviço de Atendimento Permanente do Centro de Saúde cabeceirense. "Quando chegámos ao local, a criança tinha bastante sangue no couro cabeludo, do lado esquerdo da cabeça. Limpámos as feridas e percebemos que tinha, pelo menos, cinco feridas incisas, marcas dos dentes do ataque do cão", recordou Marta Madanços, a bombeira que integrou a equipa dos Voluntários de Cabeceiras de Basto que socorreu a criança.

"Fizemos um penso e transportámos a menina para o hospital de Guimarães. Esteve sempre muito calma, até tendo em conta a idade, e colaborante", rematou a bombeira.

Depois de vista pelos médicos, teve alta hospitalar. A GNR foi ao local e investiga o caso.
Ver comentários