Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Capturado ao fim de oito anos

O mandado de captura foi emitido há oito anos, mas só agora as autoridades policiais conseguiram prender este homem de 46 anos, suspeito de burla, falsificação de documentos e furtos em residências e automóveis. A detenção, anunciada ontem pela GNR de Coimbra, só foi possível após vários dias de investigação e vigilância ao suspeito.
29 de Novembro de 2005 às 00:00
O detido já foi entregue pela GNR na cadeia de Coimbra
O detido já foi entregue pela GNR na cadeia de Coimbra FOTO: Jorge Paula
Natural de Oliveira do Hospital, o alegado burlão tem um longo passado criminal relacionado com “falsificação de cheques, furtos em residências por escalamento e furtos em viaturas”, disse ao CM fonte da GNR.
Há oito anos, o Tribunal de Execução de Penas de Coimbra emitiu um mandado de captura em seu nome, para cumprir uma pena de prisão de nove meses e 27 dias.
Mais tarde, as autoridades receberam dois pedidos de paradeiro e a informação de que o cadastrado tinha sido declarado contumaz pela Justiça. Mas mesmo sem poder requerer documentos em repartições públicas, o homem conseguiu manter a sua actividade ilícita, na região Centro.
Segundo informações da GNR, o facto de se deslocar quase sempre em transportes públicos terá sido determinante para estar tanto tempo sem ser localizado.
Sem morada certa, o condenado começou a parar mais na zona da Figueira da Foz, onde chamou a atenção por evidenciar comportamentos estranhos.
Os elementos do Núcleo de Apoio Operativo da Brigada Territorial da GNR de Coimbra entraram em campo e montaram vigilância apertada às suas movimentações.
Após alguns dias de trabalho, os investigadores concluíram a semana passada tratar-se do homem procurado pela Justiça e deram-lhe voz de prisão. Ele acatou a ordem sem oferecer resistência.
No momento da detenção, foi apreendida uma cédula pessoal e alguns carimbos, que as autoridades suspeitam terem sido furtados de uma igreja, no concelho da Figueira da Foz.
Pelo passado do indivíduo e uma vez que estava em situação de contumácia, presume-se que pretendia forjar documentos de identificação a partir da cédula furtada. O homem é solteiro e sem profissão declarada.
Dado que sobre ele pendia um mandado de captura, a GNR entregou-o no Estabelecimento Prisional de Coimbra, onde deverá cumprir a pena em ‘dívida’.
As autoridades estão agora a investigar o passado do detido para apurar que tipos de crime ele terá cometido durante o tempo em que andou fugido.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)