Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

CARNE ENVENENADA MATA QUATRO CÃES

Quatro cães morreram depois de terem comido carne envenenada, no Bairro do Pinheiro, Guarda, denunciou ontem o dono de dois dos animais, que apresentou queixa às autoridades policiais.
21 de Maio de 2003 às 00:00
Segundo Rogério dos Santos, caçador, o alimento foi colocado junto à garagem onde abrigava seis cães, dois dos quais, destinados à caça, morreram, o mesmo sucedendo com outros dois cães domésticos, pertencentes a vizinhos.
Rogério dos Santos perdeu o “Zico”, de dois anos, e o “Ajax”, de três, avaliados em 1500 euros, e afirma desconhecer os motivos do crime. "Sei que vieram espalhar a carne envenenada perto da garagem, à noite, porque sabiam que sempre pelas 23 horas, como aconteceu no fim-de-semana, solto um bocadinho os animais”, afirma.
Maria Albertina Santos, mulher do caçador, lamenta a morte dos animais e alerta que a ocorrência poderia ser mais grave: "A carne envenenada foi lançada num local onde as crianças costumam brincar. Podia acontecer uma tragédia, se uma delas deixasse cair uma bola, ou um brinquedo, em cima da carne e depois levasse as mãos à boca”.
Segundo o casal, “o veneno era tão actuante e forte que matou um cão, com mais de trinta quilogramas, em dez minutos e fulminou instantaneamente as moscas que se aproximaram do cadáver de um dos cães".
Rogério dos Santos ainda ficou com quatro cães de caça, mas "a partir de agora até tem receio de os soltar, com medo que lhes possa acontecer a mesma coisa". A PSP da Guarda registou a ocorrência e "levou para análise quatro pedaços de carne e um osso que não chegaram a ser digeridos pelos cães".
Ver comentários