Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Carros da PSP deixam de patrulhar Lisboa

Dos 533 carros-patrulha (CP) que lhe estão atribuídos, o Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP tem a circular apenas 250. Por isso, está determinado desde o princípio deste mês que os CP deixem de circular em patrulha, saindo apenas para resolver ocorrências comunicadas pela central rádio.
6 de Julho de 2009 às 00:30
Os carros da PSP de Lisboa estão agora limitados a resolver ocorrências e a ficar parados à espera de outras
Os carros da PSP de Lisboa estão agora limitados a resolver ocorrências e a ficar parados à espera de outras FOTO: Manuel Moreira

A 22 de Junho, responsáveis do Cometlis chamaram todos os comandantes das divisões para uma reunião. Entre avarias de viaturas envelhecidas e acidentes resultantes do serviço, a PSP tem encostadas 283 viaturas. Para preservar as 250 restantes, ficou decidido nomear motoristas para os CP e obrigá-los a regressarem à esquadra quando o comandante entender fazer inspecções extraordinárias às mesmas. Por isso, os tripulantes de cada viatura ficam obrigados a fazer manutenções periódicas aos carros. O uso dos CP fica assim restrito a ocorrências de urgência, comunicadas pela central da PSP.

No resto do turno de trabalho, os carros-patrulha devem permanecer parados em zonas apontadas pelo comando de esquadra pelos índices de criminalidade. Fonte oficial do Cometlis disse ao CM que esta directiva não é de uso obrigatório para todos os comandantes de divisão, que são livres de a aplicar. Peixoto Rodrigues, presidente do Sindicato Unificado de Polícia, considera este despacho "uma continuação da política economicista do Governo e que a PSP está a aplicar". "Os agentes são culpados pelos acidentes, mas a PSP não lhes dá formação de condução", concluiu.

INVESTIGADORES EM ESPINHO SEM VEÍCULOS

A Esquadra de Investigação Criminal da PSP de Espinho não tem qualquer viatura para efectuar diligências. A situação, ao que o CM apurou, arrasta-se há três meses, apesar de estarem destinadas àquela secção três viaturas.

O nosso jornal apurou ainda que um carro está a ser usado pelo Comando e outro foi enviado para a esquadra de Ovar. A falta de meios está a atrasar as diligências que a equipa de trinta investigadores tem a realizar, diariamente. Aliás, os agentes da investigação criminal têm de requisitar uma viatura da área administrativa, que nem sempre está disponível. Apesar das tentativas feitas ontem pelo CM, foi impossível obter uma reacção da Direcção Nacional da PSP.

Ver comentários