Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Casa Pia: Jovem abusado a troco de dinheiro

Ex-casapiano que agora diz que é tudo mentira admitiu à PJ que ele próprio procurava ‘Bibi’ para encontros sexuais quando precisava de dinheiro.
31 de Março de 2011 às 00:30
Ilídio Marques apresentou agora uma nova versão dos factos sobre o caso de pedofilia
Ilídio Marques apresentou agora uma nova versão dos factos sobre o caso de pedofilia FOTO: Mariline Alves

Ilídio Marques, o jovem da Casa Pia que agora apresenta uma nova versão dos factos sobre o caso de pedofilia, alegadamente a troco de 15 mil euros, admitiu no processo que foi também por dinheiro que teve práticas sexuais com homens mais velhos.

"Caso não lhe fosse prometido e dado o dinheiro no final dos actos, o depoente recusar-se-ia a praticá-los", lê-se num dos depoimentos prestados à PJ, em que o ex-casapiano descreve pormenores sobre os locais dos abusos, nomeadamente a existência de um aquário em casa de Ferreira Diniz, descrito por Ilídio como "muito grande e espectacular". A PJ confirmou posteriormente a veracidade do relato do jovem, e após buscas à casa do médico anexou ao processo uma foto do aquário.

Ao longo dos quatro depoimentos prestados à PJ em 2003, Ilídio manteve sempre a mesma versão, deixando transparecer a importância que o dinheiro tinha para si - recebia entre 5 e 10 contos -, apontando-o como a única razão para se ter deixado abusar. O jovem, que agora diz que só foi abusado por ‘Bibi', chegou mesmo a admitir que, por vezes, quando precisava de dinheiro, ele próprio tomava a iniciativa de procurar Carlos Silvino para que este lhe arranjasse encontros com abusadores. "Dizia-lhe que precisava de dinheiro e o ‘Bibi' percebia de imediato", contou à PJ o jovem, que agora diz que os miúdos "deram a volta" aos inspectores. No entanto, apesar de dizer que é tudo mentira - situação que as perícias do Instituto de Medicina Legal não sustentam -, Ilídio continua sem dizer, afinal, quem foram os "verdadeiros" abusadores. Quando questionado, não responde.

Certo é que o Ministério Público não atribuiu credibilidade à nova versão, razão pela qual Ilídio escapou a um processo por perjúrio - falsas declarações em tribunal.

O alegado pagamento também não vai ser investigado porque não está em causa qualquer crime. O caso de pedofilia está na Relação.

ÁLVARO CARVALHO COORDENADOR DA SAÚDE MENTAL

A ministra da Saúde, Ana Jorge, nomeou Álvaro Carvalho como novo coordenador nacional da Saúde Mental, em substituição de Caldas Almeida. Álvaro Carvalho foi um dos psiquiatras que acompanharam as vítimas do processo Casa Pia, relacionado com abusos sexuais de menores da instituição e que levou à condenação de seis arguidos. O novo coordenador da Saúde Mental nasceu em 1948 na Lourinhã e é licenciado em Medicina pela Universidade de Lisboa.

De Novembro de 2000 a Setembro de 2006, dirigiu o Departamento de Psiquiatria e Saúde Mental do Hospital de São Francisco Xavier (Lisboa), funções que cessou a seu pedido para exercer as de médico-coordenador na Casa Pia.

Casa Pia abusos pedofilia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)