Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Casais atacados

Três indivíduos, um empunhando uma caçadeira de canos serrados, abordou ontem pela 01h00 dois casais de namorados junto a um café em Guilhabreu, Vila do Conde, para os roubar. O trio, que usava um Honda Civic escuro, já tinha assaltado, menos de meia hora antes, outros dois pares de namorados no topo do monte S. Félix, aos quais roubou carteiras e telemóveis.
20 de Julho de 2008 às 00:30
Ataques têm acontecido de noite e em sítios isolados e muito procurados para namorar
Ataques têm acontecido de noite e em sítios isolados e muito procurados para namorar FOTO: Sérgio Freitas

A primeira exigência dos assaltantes em Guilhabreu foi a entrega de um computador portátil que as vítimas garantem ter estado a usar, pouco tempo antes, numa esplanada de Santo Tirso. 'Recusei dar--lho e atirei-o por cima do muro. Foi aí que me puseram a caçadeira na boca e assim fiquei até que eles arrancaram', conta um dos jovens, de 23 anos, que diz ter ficado 'traumatizado com os minutos de pânico vividos'.

O assalto viria a terminar mais depressa do que esperado, quando surgiu na rua uma viatura em sentido contrário. 'Os ladrões apressaram-se a sair dali, mas antes ainda mandaram um tiro para o ar, para assustar', recorda uma das jovens assaltadas.

Cerca de meia hora antes deste assalto o trio terá estado no monte de S. Félix, local onde existe um miradouro sobre a Póvoa de Varzim muito procurado por jovens casais à noite.

Dois pares de namorados foram aí abordados e, sob a ameaça da arma, despojados de carteiras bem como dos telemóveis. Uma das vítimas chegou a ser agredida na zona do tronco.

Olímpia Sampaio, que reside num dos moinhos do monte e ali explora um quiosque de gelados, confirmou ao Correio da Manhã a ocorrência. 'Ouvi uma rapariga a gritar por socorro. Quando vim à janela vi um grupo grande de jovens à volta de um carro e um deles estava a sangrar', recorda.

As oito vítimas destes assaltos apresentaram queixa na Guarda Nacional Republicana, mas a investigação do caso transitou entretanto para a Polícia Judiciária do Porto.

PORMENORES

TRAUMATIZADOS

Os quatro jovens, entre os 20 e os 23 anos, assaltados em Guilhabreu, confessam-se de tal forma traumatizados pelo assalto que ontem não conseguiram ir trabalhar. 'É uma experiência que não tem explicação', salientam as vítimas.

VANDALISMO

O monte de S. Félix não é só procurado por casais de namorados. São já vários os registos de grupos de jovens que se divertem vandalizando o espaço e provocando barulho até altas horas da manhã, que incomodam os comerciantes do miradouro.

INVESTIGAÇÕES

Por se tratar de assaltos com recurso a arma de fogo, a investigação foi entregue pelo Ministério Público à competência de Polícia Judiciária do Porto, que entretanto já inquiriu as vítimas destes roubos.

 

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)