Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Casal mata e esconde corpo de empresário (ACTUALIZADA)

O homem estava desaparecido desde Abril, quando foi ao Algarve. António Gonçalves Cardoso, empresário, de 74 anos, tinha afinal sido assassinado. O corpo foi encontrado pela PJ nas tubagens da barragem de Santa Clara, Sabóia. O casal de homicidas, detido quarta-feira, acabou por indicar onde o tinha escondido.
25 de Outubro de 2009 às 21:00
Detido pela PJ, o casal suspeito do crime foi presente, na sexta-feira à noite, ao Tribunal de Portimão. Ele foi para a cadeia e ela ficou em liberdade
Detido pela PJ, o casal suspeito do crime foi presente, na sexta-feira à noite, ao Tribunal de Portimão. Ele foi para a cadeia e ela ficou em liberdade FOTO: Correio da Manhã

A Judiciária ainda não sabe em que moldes o crime foi praticado. Suspeita-se de que o casal detido, ele com 30 anos, ela com 45, tenha travado amizade com António Cardoso no Algarve, onde este decidira passar uns dias, na sequência das férias da Páscoa. Após vários encontros entre os três, e quando já tinha ganho a confiança da vítima, o casal terá morto o homem com a intenção de o roubar. Depois esconderam o corpo nas tubagens.

A investigação prolongou-se por meses, muito por não se encontrar o cadáver do empresário. No entanto, movimentos com o cartão de crédito da vítima e a recuperação do carro, que tinha sido vendido pelos suspeitos, acabaram por conduzir a Judiciária até ao casal.

Durante o interrogatório judicial forneceram elementos que conduziram à descoberta do corpo.

PORMENORES

EXAMES

O corpo de António Cardoso encontra-se no Instituto de Medicina Legal de Portimão para ser sujeito a exames médico-legais.

DINHEIRO

Os detidos terão movimentado avultadas somas com o cartão de crédito do empresário.

LAGOA

A mulher detida era funcionária de um posto de abastecimento de combustível. À altura do desaparecimento, o casal residia em Lagoa, Algarve.

SUSPEITO FICA EM PREVENTIVA E A MULHER EM LIBERDADE

O corpo de António Cardoso apenas foi encontrado pela PJ após se iniciar o interrogatório judicial feito ao casal suspeito. Juntamente com as pistas já recolhidas, a Judiciária conseguiu chegar ao local, de difícil acesso e onde provavelmente o cadáver nunca seria encontrado.

O corpo foi colocado numa tubagem profunda, que faz parte do sistema de nivelamento da albufeira da barragem de Santa Clara. A última inspecção ao local tinha sido feita há três anos.

Depois de presente a primeiro interrogatório, no Tribunal de Portimão, o homem, já referenciado por crimes de burla e assaltos a habitações, ficou a aguardar julgamento em prisão preventiva. A mulher ficou sujeita a apresentações diárias às autoridades.

FEZ FORTUNA NO BRASIL NA ÁREA DA PANIFICAÇÃO

António Gonçalves Cardoso estava emigrado no Brasil há dezenas de anos. Aí fez fortuna, na área da panificação, e estaria agora a pensar expandir os negócios para Portugal, com investimentos em imobiliário.

Em Abril aproveitou as férias da Páscoa para regressar à moradia que tem na Figueira da Foz. Entretanto, em meados desse mês, o empresário, natural de Buarcos, decidiu passar uns dias no apartamento que tem em Alporchinhos, perto de Portimão, no Algarve. Não se fez acompanhar pela mulher, Nazaré, e seria ela que viria a alertar as autoridades para o desaparecimento de António Cardoso.

As autoridades acreditam que, quando foi morto pelo casal, o empresário estaria prestes a deixar o Algarve, rumo à Figueira da Foz. Dentro de dias iria regressar ao Brasil.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)