Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Caso do Parque volta a tribunal

Pedro Inverno, pedófilo confesso condenado a 19 anos de prisão em 2006 – pena entretanto reduzida a 10 anos pelos tribunais superiores –, voltou ontem às varas criminais de Lisboa, onde foi reaberto o julgamento do chamado ‘caso do Parque Eduardo VII’ para que seja novamente produzida prova sobre as indemnizações atribuídas às vítimas.
12 de Março de 2011 às 00:30
Pedro Inverno (à esquerda) com o advogado Francisco Valadas, à saída do Tribunal Criminal de Lisboa
Pedro Inverno (à esquerda) com o advogado Francisco Valadas, à saída do Tribunal Criminal de Lisboa FOTO: Vasco Neves

A audiência, que decorreu à porta fechada, prolongou-se durante cerca de uma hora. À saída do tribunal, Francisco Valadas, advogado de Pedro Inverno, afirmou ao CM que o seu constituinte não foi ouvido na sessão. Segundo o advogado, o novo julgamento irá apreciar a pena e o valor das indemnizações a pagar às vítimas, dois ex-alunos da Casa Pia. As indemnizações estavam estipuladas em 30 mil e 45 mil euros.

A próxima audiência ficou marcada para o dia 1 de Abril, na qual deverão ser ouvidas as testemunhas arroladas pelos assistentes. O colectivo de juízes, composto por Nuno Dias Costa, Carlos Berguete e Pedro Pinto Soares, deferiu o pedido de audição do pedopsiquiatra Pedro Strech e da ex-provedora da Casa Pia Catalina Pestana. Já os pedidos de audição do psiquiatra Afonso de Albuquerque e de Mendes Pedro não foram deferidos.

PEDRO INVERNO CASO DO PARQUE JULGAMENTO TRIBUNAL LISBOA PEDOFILIA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)