Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Centros de inspecção automóvel em greve

Os trabalhadores dos centros de inspecção automóvel iniciaram esta sexta-feira uma greve de dois dias como forma luta por um contrato colectivo de trabalho que assegure melhores condições de trabalho e garanta uma melhor organização do sector.
28 de Julho de 2006 às 11:42
A Federação dos Sindicatos de Transportes Rodoviários e Urbanos (FESTRU) lamenta que “o patronato só tenha em conta o lucro e procure impor vínculos laborais frágeis”. Segundo a federação, os trabalhadores dos centros queixam-se de “baixos salários, horário como o patrão entende, dias de folga não seguidos, trabalhadores sem direito a subsídios de refeição e diuturnidades”, bem como de um “pagamento suplementar abaixo da lei”.
A FESTRU adiantou ainda que os inspectores estão muitas vezes perante situações extremamente complicadas, porque se deixam passar um veículo que deveria ser reprovado, para que o patrão mantenha o cliente, podem ser penalizados pela Direcção-Geral de Viação, por outro lado, se reprovam o veículo correm o risco de serem despedidos.
A greve envolve 1200 trabalhadores, entre os quais 700 são inspectores, dos 160 centros de inspecção automóvel existentes a nível nacional.
Ver comentários