Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Cheque de 5 € passa a 29 mil

De cinco euros, um cheque-carta emitido pelo Instituto de Gestão Financeira e de Infra-estruturas da Justiça (IGFIJ) passou para 29 428 euros, depois de falsificado. O valor em causa terá sido sacado de uma das contas que o organismo tem na Caixa Geral de Depósitos por uma das suspeitas de pertencer à rede que assaltava marcos dos correios em todo o País para posterior falsificação de cheques, lesando vários bancos e empresas em mais de um milhão de euros. Ao todo são 64 arguidos, que estão a ser julgados em Sintra, onde respondem por associação criminosa, furto, burla, falsificação e coacção.
25 de Janeiro de 2010 às 00:30
Cheque do Instituto de Gestão Financeira e de Infra-estruturas da Justiça faz prova no julgamento em Sintra
Cheque do Instituto de Gestão Financeira e de Infra-estruturas da Justiça faz prova no julgamento em Sintra FOTO: Pedro Catarino

Marcela terá disponibilizado a sua conta a ‘Nelo’, para depositar o cheque do IGFIJ furtado. Aquele organismo do Ministério da Justiça emitira, em Janeiro de 2008, o cheque-carta, no valor de cinco euros, para pagar "custas liquidadas" no âmbito de um processo no Tribunal de Cascais.

O cheque terá sido enviado para a morada do destinatário no Cacém, mas nunca lá chegou. Segundo o MP, foi desviado pelo grupo e falsificado por ‘Primo’, com a ajuda de uma máquina de escrever. Este cheque será um dos nove que o IGFIJ passou e que, segundo o relatório da auditoria da Inspecção-Geral dos Serviços de Justiça, divulgado no início deste ano, foram interceptados, falsificados e levantados na CGD, na ordem dos quase 800 mil euros.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)