Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Chicoteava a mulher e abusava dos filhos adoptivos

Os maus tratos físicos e psicológicos para com a mulher, licenciada em Economia, eram quase diários. O director de uma agência bancária do Porto espancava-a com enorme violência e chegou mesmo a agredi-la com um cinto, que usou como chicote. A vítima já pediu o divórcio. O pedófilo está acusado, pelo Ministério Público, de 330 crimes, entre os quais abusos sexuais aos filhos adoptivos, de 13 e 14 anos .

5 de Março de 2012 às 01:00
AGRESSÃO, VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, CHICOTE, PEDOFILIA, PORTO
AGRESSÃO, VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, CHICOTE, PEDOFILIA, PORTO

O episódio de espancamento mais violento ocorreu durante umas férias no Algarve e foi apenas um das muitas situações relatadas pela mãe das crianças, que denunciou o marido, de 45 anos, depois de ter descoberto que ele violava os dois filhos. A menina, de 14 anos, era abusada desde os sete. O rapaz foi sujeito a abusos pelo menos nos seis meses anteriores à detenção do bancário, que ocorreu em Setembro do ano passado.

Aos inspectores, a mulher garantiu que nunca se apercebeu dos abusos. O clima vivido em casa, numa das zonas habitacionais mais luxuosas de Matosinhos, era de absoluto terror. Os menores tinham um comportamento estranho, mostravam ter receio do pedófilo, mas a mãe nunca imaginou que fossem violados.

Na acusação agora deduzida pelo Ministério Público de Matosinhos, são relatados episódios chocantes. As imagens e os filmes dos abusos que foram gravados estão juntas ao processo e mostram os dois menores a serem forçados a ter sexo.

O bancário, que está em prisão preventiva, apenas confessou os abusos sexuais à filha, de 14 anos. Desvalorizou, no entanto, os crimes que cometeu, e disse que foi a menina que o tinha provocado.

AGRESSÃO VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CHICOTE PEDOFILIA PORTO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)