Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

CHUVA MOLHA LOTARIA

O mau tempo que se tem feito sentir um pouco por todo o País nestes últimos dias está a estragar a venda da Lotaria de Fim de Ano. Disso mesmo se queixam os vendedores deste jogo de azar, que dita a sorte às 20h00 do dia 30.
28 de Dezembro de 2002 às 00:00
Cada bilhete custa 300 euros e cada fracção custa 15 euros, tendo o primeiro prémio o valor de três milhões de euros.

Fernando Félix, administrador da ‘Casa da Sorte’, em Lisboa, não poupa a metereologia. “Estamos a ser muito prejudicados devido ao mau tempo, porque as pessoas não se dirigem tanto aos nossos balcões para comprar o seu bilhete ou a sua fracção quando está a chover”, afirmou Fernando Félix. Prejudicados são também os cauteleiros que, em dias muito chuvosos, têm de se resguardar e já não podem apregoar as cautelas livremente pelas ruas, o que se reflecte nas vendas. “A chuva é um elemento fundamental no nosso negócio, que é sensível e muito se ressente. Só estamos com 30 por cento das vendas em relação ao Natal, perto de 13 mil bilhetes, enquanto no Natal vendemos cerca de 41 mil bilhetes”, sublinha.

‘A Campião’, um estabelecimento concorrente, também admite o mau tempo como factor determinante no negócio, mas, no seu caso, “as vendas estão semelhantes às do ano passado”, diz Bento Cabesana, encarregado. “Segunda-feira é que vamos saber se os cauteleiros venderam tudo ou não”, disse. A tradição de comprar o bilhete inteiro não é tão grande na Lotaria do Ano Novo como no Natal, pelo que se vendem menos bilhetes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)