Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Cinco já estão presos

Foi a existência de mais um ferido no tiroteio entre um numeroso ‘gang’ de assaltantes e uma patrulha da GNR, anteontem, em S. João da Madeira, que nas últimas horas foi determinante para a captura de mais cinco suspeitos, com idades entre os 22 e os 30 anos.
3 de Maio de 2006 às 00:00
O quinto elemento foi capturado já ao final da tarde de ontem, em Ovar, e conduziu a Polícia ao local onde estavam escondidas 4 caçadeiras e um revólver, usados nos assaltos.
A PSP de Ovar deteve os primeiros quatro no bairro do Lamarão, onde residem, seguindo a pista de um ferido de bala. As autoridades já tinham o indivíduo indiciado, bem como aos restantes três, por vários crimes de roubo violento, mas não suspeitavam que pudessem estar também envolvidos no caso dos multibancos.
O CM apurou ainda que o ferimento que o indivíduo apresentava, na cara, não era de uma munição de G3 – arma usada pela GNR –, mas sim de uma das caçadeiras usadas pelos elementos do bando. Se não foi alvejado pelos militares, terá sido um dos seus cúmplices que na tentativa de acertar na GNR e simultaneamente fugir, acabou por o atingir.
As investigações que se iniciaram anteontem, após os incidentes de Milheirós de Poiares – que provocaram a morte a dois assaltantes de 31 e 20 anos – levaram já às primeiras detenções no seio do bando, que as autoridades acreditam, ter entre 23 e 25 elementos e estar bem organizado. No decurso da acção policial foram ainda apreendidas várias munições e um automóvel.
Os suspeitos, já sob custódia policial, terão confessado os inúmeros assaltos às caixas de Multibanco no Centro e Norte do distrito de Aveiro, desde Fevereiro, inclusive o assalto ao Supermercado Modelo em Oliveira de Azeméis, que resultou na morte de um segurança privado.
A PSP e a Secção de Combate ao Banditismo da PJ do Porto, com o apoio da GNR, continuam a proceder a diligências com vista a detenção de outros cúmplices, que se encontram a monte.
MILITARES CUMPRIRAM REGULAMENTO
O militar que efectuou os disparos não deverá ser alvo de qualquer inquérito interno, uma vez que, segundo o comandante do Grupo Territorial da GNR de S. João da Madeira, o Tenente-coronel Nelson Esteves, “o seu procedimento terá sido o mais correcto”, até porque “os guardas agiram em legítima defesa”. O caso está no entanto entregue à responsabilidade da PJ do Porto. Os dois militares, em particular aquele que ripostou, ficaram algo transtornados com tudo o que se passou. Mesmo outros militares mostravam-se ontem algo apreensivos com este incidente, que acreditam traduzir uma escalada de violência. Os responsáveis da estrutura militar já terão aconselhado os militares a um reforço nas “cautelas” a adoptar nos próximos dias, pelo menos até que o bando seja desmantelado.
TRÊS MESES DE ASSALTOS
Depois de pelos menos três meses de assaltos a caixas multibancos e a empresas, de onde levavam os cofres monoblocos, sem que fossem apanhados, anteontem, de madrugada, foram surpreendidos em Milheirós de Poiares, Santa Maria da Feira por uma patrulha da GNR. Houve troca de tiros e dois dos assaltantes foram atingidos mortalmente: Emanuel ‘Manolo’ Bernardes, de 31 anos, que supostamente dirigiu este assalto no terreno, e Emílio Monteiro, de 20 anos, seu sobrinho. Os cúmplices ‘carregaram-nos’ na Mercedes Vito furtada num Stand em S. João de Ver e abandonaram-nos à porta das urgências do Oliveira de Azeméis. Na fuga deixaram espalhadas pelo perímetro do hospital, caçadeiras, caçadeiras de canos serrados, pistolas, munições, capuzes e luvas. Momentos depois atearam o fogo à carrinha, para tentar apagar provas. As duas vítimas pertencem a famílias de etnia cigana, que há cerca de dois anos foram obrigados a deixar S. João da Madeira, tendo-se mudado para um acampamento em Avanca, Estarreja, onde têm permanecido.
PORMENORES
PISTOLEIROS
Os agora quatro detidos são exactamente os mesmos que há uma semana foram apanhados pela PSP a disparar projécteis de borracha, indiscriminadamente, contra peões e automóveis que circulavam na estrada que liga ao Furadouro.
ESFAQUEADO
O detido que se encontra ferido, de 22 anos, tinha sido esfaqueado no pescoço, em Agosto do ano passado, depois de se ter envolvido numa rixa de gangs em que entraram dezenas de jovens e que gerou o pânico na cidade de Ovar.
ENTERRO
Os dois assaltantes mortos anteontem pela GNR - Emanuel ‘Manolo’ Bernardes, de 31 anos, e o sobrinho Emílio Monteiro, de 20 anos - foram ontem a enterrar num jazigo da família Monteiro, no cemitério de Esgueira, em Aveiro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)