Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Ciúmes levam a tiroteio

"Metem-lhe coisas na cabeça e ele vai acreditar.” O lamento é do jovem de 15 anos que, na noite de domingo, viu o pai balear a mãe e o irmão mais velho. Tudo por alegados ciúmes, num lar dominado pela violência doméstica, no Casal do Coseno, Paio Pires, Seixal.
27 de Setembro de 2005 às 00:00
A Rua da Alegria foi ontem palco da tentativa de homicídio de uma mulher e do filho
A Rua da Alegria foi ontem palco da tentativa de homicídio de uma mulher e do filho FOTO: Jorge Godinho
21h45. A maioria das pessoas estava a ver a televisão, depois do jantar. Mas não no segundo andar de um dos prédios na Rua da Alegria. Ali discutia-se. Arlindo Carlos Mendes, 45 anos, não deixou a mulher, Maria da Graça, da mesma idade, deitar-se na cama do casal. Ao que tudo indica por causa da desconfiança. E uma zanga mais, com ameaças e agressões, como tantas outras antes, lamenta quem conhecia o casal.
Desta vez, a questão ultrapassou os limites habituais e, a dada altura, Arlindo apareceu com uma pistola de 9 milímetros em punho. Disparou nove tiros. Pelos menos três balas ficaram alojadas na parede, ombreira de uma porta e no chão. Um dos projécteis, acabou por ferir Maria da Graça de raspão na perna direita.
“O meu pai foi para o quarto, voltou a carregar a pistola. Aí, chegou o meu irmão e começou a bater-lhe, em defesa da nossa mãe e para lhe tirar a arma da mão”, contou ainda o jovem filho do casal.
Caídos no chão, pai e filho, Carlos Mendes, de 24 anos, envolveram-se num corpo a corpo. Um novo estampido. Desta feita, Arlindo disparou contra o filho, tendo o projéctil decepado-lhe um dedo da mão esquerda. E só não teve piores consequências porque um anel desviou a bala.
Entretanto, Maria da Graça, apesar de ferida ainda deu um golpe com uma faca de cozinha na mão do marido para tentar desarmá-lo.
Mas foi o Carlos que, apesar de ferido, logrou tirar a arma das mãos do pai e entregá-la ao irmão, para que este a desse às autoridades, que entretanto chegaram ao local. Uma secção do Pelotão de Intervenção Rápida da GNR isolou o bairro social e acabou por convencer o homem, entretanto já armado com uma faca, a entregar-se.
O ferido foi operado ontem à tarde no Hospital de S. José, em Lisboa. O agressor foi presente a Tribunal.
POVO DIZ-SE ABANDONADO
Casal do Coseno, é um bairro social de cerca de 160 fogos, construído há três anos pela Câmara Municipal do Seixal, na freguesia de Paio Pires. No entanto, os seus habitantes estão profundamente descontentes com a edilidade e sentem-se isolados.
Com efeito, o bairro apenas é servido de autocarros, de manhã, até cerca das 09h00 e, depois, só a partir do meio da tarde. Por outro lado, embora o espaço esteja pronto há dois anos, continua por haver uma loja que permita a sua população abastecer-se.
“As nossas crianças por vezes têm de ir a pé para a escola em Paio Pires, a quatro quilómetros, e quem não tenha carro, também tem de ir a pé às compras”, disse um dos moradores.
PORMENORES
FILHOS
O casal tem quatro filhos, entre os 24 e os oito anos. Destes, um deles trabalha no Luxemburgo. Os outros, estavam em casa, quando começou a disputa que acabou a tiro.
NOVE
Segundo uma fonte da Guarda Nacional Republicana, o homem disparou ao todo nove tiros, antes de ser desarmado pelo filho. Dois dos tiros acertaram em Maria e Carlos.
REVOLTA
Os vizinhos do casal estão revoltados com o serviço de emergência, que consideraram demasiado burocrático quando duas pessoas estavam baleadas, depois de fugirem para a rua.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)