Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

COCA ABASTECIA EUROPA

A Polícia Judiciária deteve domingo, nas portagens de Alverca, arredores de Lisboa, três espanhóis que levavam para a Galiza, escondidos na mala de um carro, 40 quilos de cocaína, avaliados em cerca de um milhão de euros. A droga era proveniente da Venezuela e entrou na Península Ibérica por Lisboa, destinando-se ao mercado europeu.
13 de Maio de 2003 às 00:00
A apreensão, realizada pela Direcção Central de Investigação do Tráfico de Estupefacientes (DCITE) da PJ, decorreu sem incidentes e contou com a colaboração da Brigada de Trânsito da GNR, no corte da A1.
Segundo explicou ao CM o inspector Carlos Costa, da DCITE, trata-se de uma importante rede organizada de tráfico sediada na Galiza e que, desde há largos meses, andava sob investigação das autoridades policiais espanholas.
Os três espanhóis, com idades entre os 36 e os 45 anos, entre eles um dos líderes da organização, deslocaram-se este fim-de-semana a Lisboa. “Foi-nos pedido que controlássemos a sua movimentação”, referiu.
Os traficantes vieram buscar um carregamento de 40 quilos de cocaína, provenientes da Venezuela, e estavam a iniciar a viagem de regresso à Galiza quando foram detidos em plenas portagens de Alverca da A1.
“Assim que nos apercebemos que levariam com eles a droga fizemos as detenções e a apreensão”, acrescentou o inspector.
Os indivíduos deslocavam-se em duas viaturas, um BMW e um Renault Mégane, usando um expediente de ‘segurança’ no transporte cada vez mais visto pelas autoridades. O BMW, de alta cilindrada, fazia a viagem alguns quilómetros à frente do Renault, que levava a droga, com a missão de comunicar para trás qualquer operação policial ou barreira na estrada.
A PJ, a par deste ‘esquema’, logrou assim fazer parar as duas viaturas e veio a descobrir a cocaína escondida na bagageira do Renault.
A droga estava dissimulada debaixo da capa da bagageira, no espaço do pneu sobressalente, que viajava no BMW.
A PJ investiga agora o meio como a droga entrava em Portugal, não estando ainda esclarecido se seria por via marítima ou aérea. Segundo o inspector Carlos Costa, não há para já indícios da participação de portugueses nesta rede de tráfico com ligações à América do Sul.
Nesse sentido, o trabalho policial vai continuar, tanto em Portugal como em Espanha, sendo de prever, segundo a PJ, a detenção de mais pessoas nas próximas semanas.
A cocaína, com a ‘marca’ ‘P.R.’, teria como destino o mercado espanhol e europeu, não havendo indícios de que fosse posteriormente traficada para Portugal.
Os detidos foram ontem presentes ao Tribunal de Vila Franca de Xira, recolhendo em prisão preventiva.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)