Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

COCAÍNA IA VOAR PARA LISBOA

As autoridades brasileiras estão a investigar a existência de uma rota de tráfico de cocaína sul-americana para Portugal, em especial para a cidade do Porto, depois de esta semana ter sido detido no aeroporto de Fortaleza, Ceará, um casal de venezuelanos com uma quantidade ainda indeterminada de droga escondida no corpo e no fundo de uma mala.
7 de Junho de 2004 às 00:00
A cocaína vinha para Lisboa escondida numa mala de viagem
A cocaína vinha para Lisboa escondida numa mala de viagem FOTO: Orlando Barria/EPA
O homem, cuja presença já tinha sido assinalada em Fortaleza em ocasiões anteriores, transportava no interior do corpo pelo menos 30 cápsulas, com 30 gramas de cocaína cada. Já a mulher levava a droga escondida no fundo de uma mala.
Segundo revelou ao jornal brasileiro ‘Diário do Nordeste’ um responsável da Polícia Federal, cada correio de droga, ou ‘mula’, tinha recebido cerca de quatro mil dólares (aproximadamento o mesmo em euros) para voar até Lisboa com a cocaína, que, revelaram, seguiria depois para a cidade do Porto.
As ‘mulas’ revelaram ainda que tinham recebido a droga em Caracas, capital da Venezuela, e viajado de autocarro até Boa Vista, no Brasil. Depois, apanharam um avião até Fortaleza, onde ficaram hospedados num hotel até à partida para Lisboa. A unidade hoteleira, de resto, foi um dos locais onde a polícia confirmou a anterior presença do indivíduo detido, de 24 anos.
A polícia federal efectuou a detenção na terça-feira à noite, minutos depois de ter partido do Aeroporto Pinto Martins o voo entre Fortaleza e Lisboa. O casal tinha chegado atrasado e perdido o avião, o que levantou suspeitas às autoridades.
O comportamento dos dois venezuelanos passou de “estranho” a “muito nervoso” quando a polícia os acompanhou ao posto.
Nessa altura, um dos cães da polícia ‘cheirou’ a droga no interior da mala da mulher, o que provocou ainda mais nervos no homem. Descoberta a droga na bagagem da mulher, e dado o nervosismo do acompanhante, foram inspeccionadas, sem resultados, as suas malas.
A polícia federal transportou então o homem ao hospital, onde um raio-x provou que tinha ingerido dezenas de cápsulas de cocaína.
Refira-se que, no espaço de um ano, as autoridades brasileiras já apreenderam no aeroporto de Fortaleza mais de 100 quilos de droga cujo destino final seria a Europa.
DOMÍNIO DAS MÁFIAS NIGERIANAS
Uma fatia importante do tráfico de cocaína sul-americana para a Europa é controlado pelas máfias nigerianas. O fenómeno, conhecido em ambos os lados do Atlântico, está a preocupar as autoridades do Brasil, uma vez que os nigerianos conseguem obter com facilidade a nacionalidade brasileira e, a partir daí, operar com maior à-vontade.
Um dos métodos de transporte é o recurso a ‘mulas’. São homens e mulheres, quase sempre desempregados, que recebem entre 3000 e 5000 dólares para viajarem de avião com pequenas quantidades de droga – na bagagem ou no próprio corpo. A cocaína é entregue à partida, assim como as instruções, que devem ser seguidas à risca. Uma vez na cidade de destino, as ‘mulas’ são recebidas por um elemento da rede, ou hospedadas num hotel à espera de contacto. Entregue a mercadoria, regressam ao país.
Ver comentários