Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

COLOCAÇÕES CHEGAM ATRAVÉS DO TELEMÓVEL

Os professores já não vão ter de se deslocar para saber em que escola foram colocados. Poderão sabê-lo através da Internet e, pela primeira vez, também através do telemóvel. Uma novidade que, de acordo com fonte do Ministério da Educação, pretende colocar à disposição dos docentes mais um canal informativo, utilizando todas as vantagens das tecnologias de informação.
28 de Agosto de 2003 às 00:00
A consulta por telemóvel na internet evita as deslocações dos docentes
A consulta por telemóvel na internet evita as deslocações dos docentes FOTO: d.r.
A partir do próximo dia 3 de Setembro, os professores poderão ficar a saber as colocações através de uma mensagem de telemóvel. Trata-se de um serviço muito simples, que custa 0,40 euros, e que garante uma resposta imediata.
Para isso, os docentes têm apenas de enviar uma mensagem escrita (SMS) para o número 4774. O conteúdo da mensagem é: dgae seguido do n.º do Bilhete de Identidade do candidato (sem espaço). Depois, é só esperar um pouco e o utilizador terá a resposta no ecrã do telemóvel.
Trata-se de um serviço que evita a deslocação dos professores, permitindo por outro lado que a consulta possa ser feita a partir de qualquer lugar, à semelhança da Internet.
Com efeito, e à semelhança do ano passado, os professores poderão conhecer as listas de colocações através do endereço www.dgae.min-edu.pt.
Uma forma de aproveitar todas as potencialidades das tecnologias de informação e evitar transtornos aos docentes, explica fonte do Ministério da Educação.
MEGA FASE
A divulgação das listas de colocações a 3 Setembro e não a 29 de Agosto, como previsto, deve-se à entrada em vigor do novo regime de colocações.
Na verdade, foi publicado em Fevereiro deste ano um novo regime de concurso para Selecção e Recrutamento do Pessoal Docente da Educação Pré-Escolar e dos Ensinos Básico e Secundário, que extinguiu os miniconcursos. Foi subscrito por oito organizações sindicais, tendo ficado de fora a Federação Nacional de Professores (Fenprof).
Para a Fenprof, como avançámos na edição de ontem, esta alteração de data representa um “adiamento” enquanto para o Ministério da Educação trata-se de uma antecipação, pois os resultados divulgados dia 3 concentram a segunda fase (que de facto era até agora conhecida até 1 de Setembro) e os miniconcursos, que só eram conhecidos em Outubro.
De acordo com a Fenprof são "68 750 candidatos (24 417 dos quadros e 44 333 candidatos a contrato) que, neste momento, não sabem ainda em que escola se devem apresentar no próximo dia 1, data oficial de comparência nos estabelecimentos de ensino". Por isso, a Fenprof propôs ontem ao ministério que a apresentação dos professores só seja feita apenas depois de conhecerem a colocação.
No entanto, na perspectiva do Ministério da Educação, o “compromisso era tudo estar a postos a 15 de Setembro, dia de abertura do ano lectivo, e isso vai acontecer”. Quanto a uma outra questão levantada pelos sindicatos de professores, que diz respeito a perturbações no pagamento dos ordenados, a mesma fonte ministerial negou qualquer problema.
ANO LECTIVO
ABERTURA
Milhares de alunos e de professores regressam às escolas no próximo dia 15 de Setembro, data calendarizada pelo Ministério da Educação para o início do ano lectivo 2003/2004.
FECHO
Um ano marcado pelo encerramento de cerca de duas centenas de escolas do 1.º ciclo do Ensino Básico, devido à diminuição do número de alunos em algumas regiões.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)