Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

COMBOIO INTERCIDADES A CAMINHO DE SETÚBAL

A mobilidade dos cidadãos da Margem Sul do Tejo vai sofrer grandes melhorias nos próximos meses. A garantia foi dada pelo secretário de Estado dos Transportes ao presidente da distrital de Setúbal do PSD. Em declarações ao Correio da Manhã, Luís Rodrigues fez questão de destacar os investimentos a nível ferroviário, nomeadamente a electrificação de toda a linha do Sado, o que permitirá que o serviço Intercidades da CP entre Braga e Faro passe a fazer-se por Setúbal, assim que os operadores o decidam.
16 de Março de 2004 às 00:00
As linhas ferroviárias no distrito de Setúbal vão permitir uma maior mobilidade dos cidadãos
As linhas ferroviárias no distrito de Setúbal vão permitir uma maior mobilidade dos cidadãos
Até ao final do primeiro semestre deste ano ficará concluído o eixo ferroviário entre Coina e o Pinhal Novo. Ao mesmo tempo, na linha Pinhal Novo/Setúbal vão ocorrer obras de beneficiação. No final dos trabalhos, o eixo Norte/Sul vai ficar electrificado até às praias do Sado. Fica apenas a faltar a estação de Setúbal, cujo projecto está a ser ultimado pela REFER. Segundo Luís Rodrigues, o edifício antigo deverá ser aproveitado, dado o seu valor arquitectónico, mas o modelo de funcionamento será exactamente igual ao das estações novas.
O troço Barreiro/Pinhal Novo também vai ter várias intervenções, principalmente ao nível dos apeadeiros e passagens desniveladas. Para um investimento de 25 milhões de euros, está prevista a construção de dez passagens desniveladas, nove no concelho da Moita e uma no Barreiro. As obras deverão ficar concluídas no primeiro semestre do próximo ano.
O deputado social-democrata destacou também a ligação ferroviária entre o Porto de Sines e Espanha. Este ano começa a construção do troço Casa Branca/Évora, com um investimento de 35 milhões de euros.
Na estação do Pinhal Novo está prevista a realização de uma obra inédita em Portugal. A REFER quer preservar a torre de controlo do arquitecto Continelli Telmo e, graças a um acordo com o IPAR e a Câmara de Palmela, está a ser planeada a deslocalização do edifício. Na sua localização actual a torre ficaria entre duas linhas, não podendo ser visitada pelos cidadãos. Além disso, os comboios não poderiam circular a mais de 60 quilómetros por hora.
Em estudo está ainda a construção de uma estrada para melhorar o acesso dos moradores da Quinta do Conde à nova estação ferroviária de Coina. O projecto da REFER é o de criar uma via paralela à auto-estrada do Sul, mas para isso é preciso que os proprietários dos terrenos e as câmaras do Seixal e Sesimbra cheguem a um entendimento.
Ver comentários