Distribuidores de farmácias querem ser incluídos na lista de prioritários para obtenção de combustível

Crise energética colocou todo o país em alerta.
Por Lusa|17.04.19

Os distribuidores farmacêuticos querem ser incluídos na lista de entidades prioritárias para abastecimento de combustível e manifestam preocupação com o impacto da greve dos motoristas de matérias perigosas na área do acesso ao medicamento.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Associação de Distribuidores Farmacêuticos (Adifa), Diogo Gouveia, afirmou que as empresas de distribuição de medicamentos às farmácias pretendem "ser incluídas na lista de entidades prioritárias" para receber combustível, de forma a "não colocar em risco a acessibilidade ao medicamento".

Diogo Gouveia adianta que a Associação de Distribuidores está ainda a trabalhar num plano de contingência para lidar com esta situação dos combustíveis decorrente da greve que começou na segunda-feira, reconhecendo que o setor da distribuição sente já alguma dificuldade.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!