Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Comida de escolas pode ajudar pobres

Todos os dias sobra comida em escolas da região, que acaba por ser atirada ao lixo. Mas numa altura de crise e de aumento do desemprego, essa comida ajudaria a suprir as necessidades de muitas pessoas pobres. Uma medida que está, neste momento, a ser equacionada pela autarquia de Tavira.
8 de Janeiro de 2009 às 00:30
A crise económica, que o País atravessa, ameaça agravar os problemas de pobreza
A crise económica, que o País atravessa, ameaça agravar os problemas de pobreza FOTO: Vítor Mota

A ideia foi apresentada pela vereadora socialista Anunciação Simões, tendo merecido o apoio imediato do presidente da autarquia, o social-democrata Macário Correia, que está agora a estudar qual a melhor forma de pô-la em prática.

Segundo referiu ao Correio da Manhã o responsável pela edilidade, a grande dificuldade que existe é de natureza logística: "Temos treze refeitórios escolares, em pontos dispersos do concelho, pelo que não é fácil criar um sistema de recolha e distribuição."

Macário Correia salientou ainda que "nunca se sabe em que escola vai sobrar comida, visto que não é uma coisa previsível". A solução poderá passar por encontrar "soluções a nível local", fazendo encaminhar as refeições para carenciados residentes na área de influência dos respectivos estabelecimentos escolares.

O autarca esclareceu, que o número médio de refeições que sobra diariamente nas escolas do município é pouco significativo, não devendo ultrapassar as duas dezenas.

A autarquia tavirense tenciona, entretanto, avançar com outras acções de ajuda aos mais desfavorecidos. Macário Correia revelou que vai reunir com as instituições particulares de solidariedade social do concelho, para fazer um diagnóstico da realidade actual e definir a adopção de medidas de apoio.

Ver comentários