Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Condutores não assumem culpa

Os condutores do carro e do autocarro envolvidos no acidente que há dois anos provocou a morte a 17 pessoas na A23 apresentaram ontem, no Tribunal de Castelo Branco, versões diferentes sobre as causas da tragédia e não assumiram a culpa. Carina Rodrigo, 36 anos, condutora do ligeiro, disse que quando fazia uma ultrapassagem o autocarro "passou para a via da esquerda". "Vi-me apertada por ele e tive de guinar para a esquerda. Não me lembro de mais nada", disse a professora, nervosa e sem conter lágrimas.
20 de Novembro de 2009 às 00:30
Fernando Serra e Carina Rodrigo  estão a ser julgados por crimes de homicídio por negligência
Fernando Serra e Carina Rodrigo estão a ser julgados por crimes de homicídio por negligência FOTO: Edgar Martins

Fernando Serra, 40 anos, motorista do autocarro da Câmara de Castelo Branco, garantiu ao colectivo de juízes "nunca ter entrado na faixa da esquerda", adiantando que o carro de Carina Rodrigues lhe "embateu duas vezes".

Esta versão contraria a reconstituição do desastre, feita na fase de instrução do processo, na qual ficou demonstrado que o pesado invadiu a faixa da esquerda. Fernando, que saiu da sala de audiências durante o depoimento da condutora, afirmou não se ter apercebido da ultrapassagem porque "ia a olhar para a frente".

Os dois arguidos estão acusados de 17 crimes de homicídio por negligência e seis de ofensas à integridade física. Na audiência foram ainda ouvidos dois técnicos responsáveis pela reconstituição do acidente e o julgamento prossegue hoje com a audição dos sobreviventes.

Ver comentários