Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

“Continua preso por ser bom canalizador”

A família de Vicente Ferreira, 43 anos, preso na cadeia de Tires há cerca de quatro anos, não tem dúvidas em considerar que o canalizador ainda espera pela liberdade condicional porque os seus serviços profissionais "dão jeito aos serviços prisionais".
18 de Outubro de 2010 às 00:30
Vicente Ferreira, condenado por usar um cartão clonado, continua detido em Tires
Vicente Ferreira, condenado por usar um cartão clonado, continua detido em Tires FOTO: Sérgio Lemos

"Ainda continua preso por ser bom canalizador", assegura Tiago Ferreira, filho de Vicente. Condenado em 2005 a seis anos de cadeia por uso indevido de um cartão de crédito clonado (entrou na prisão em 2006), o canalizador começou a cumprir pena na Carregueira, passando em Julho de 2009 para a ala masculina de Tires.

Antes de ser condenado a uma pena de prisão, Vicente Ferreira foi dono de uma das maiores empresas de canalização do País. Em ambos os estabelecimentos prisionais por onde passou foi "requisitado para muitos serviços nesta área". "Estes serviços valeram-lhe relatórios favoráveis das direcções das cadeias, dos Serviços Prisionais e do Instituto de Reinserção Social", acrescentou Tiago Ferreira.

Em Julho de 2009, passado o meio da pena, a defesa de Vicente pediu a liberdade condicional do recluso, recusada pelo 4º juízo do Tribunal de Execução de Penas (TEP). A deliberação foi alvo de recurso para o Tribunal da Relação de Lisboa e, em Novembro de 2009, em acórdão assinado pela juíza Fátima Mata-Mouros, o TEP foi instado a apreciar de novo o processo de Vicente Ferreira.

Agora, a defesa de Vicente Ferreira não pode, como lhe permite a lei, pedir a liberdade condicional por já estarem cumpridos dois terços da pena, porque o processo continua ‘preso' no gabinete do juiz titular do 4º juízo do TEP.

Canalizador Preso Lisboa
Ver comentários