Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Contrato local de segurança dá resposta ao ataque a dois bombeiros em Borba

Multidão em fúria espancou dois soldados da paz no quartel.
Miguel Curado 8 de Novembro de 2019 às 09:02
João Calado foi atacado e ficou ferido
Comandante dos bombeiros de Borba, Joaquim Branco
Bombeiro agredido em Borba
João, bombeiro agredido em Borba
Bombeiros de Borba
João Calado foi atacado e ficou ferido
Comandante dos bombeiros de Borba, Joaquim Branco
Bombeiro agredido em Borba
João, bombeiro agredido em Borba
Bombeiros de Borba
João Calado foi atacado e ficou ferido
Comandante dos bombeiros de Borba, Joaquim Branco
Bombeiro agredido em Borba
João, bombeiro agredido em Borba
Bombeiros de Borba

A constituição de um contrato local de segurança é a resposta encontrada pelo Ministério da Administração Interna (MAI) para tentar devolver o sentimento de tranquilidade ao concelho de Borba, onde, no fim de semana passado, dois bombeiros foram espancados no quartel por uma multidão em fúria.

Esta foi a principal conclusão das audiências que o ministro Eduardo Cabrita e o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tiveram esta quinta-feira com o presidente da câmara e o comandante dos bombeiros de Borba, António Anselmo e Joaquim Branco, e com o comandante da GNR de Évora, coronel Joaquim Grenho.

Acompanhado pela secretária de Estado para a Integração, Cláudia Pereira, e o secretário de Estado da Administração Interna, Antero Luís, o ministro Eduardo Cabrita diz ter "reafirmado a solidariedade para com os bombeiros de Borba e também com a atuação das forças de segurança pela atuação no sábado".

A solução encontrada foi constituir um contrato local de segurança. Trata-se de um instrumento de gestão territorial, implementado pelo ex-ministro Rui Pereira e que reforça a cooperação entre os poderes central e autárquico. A ideia é reunir as competências das entidades concelhias ligadas à Segurança, Habitação, Segurança Social e Mediação e ainda permitir a colaboração de representantes das instituições estatais e particulares, bem como das comunidades locais. 

PORMENORES
Pedido de apoio médico
Um grupo de 20 pessoas invadiu o quartel dos bombeiros de Borba, sábado de madrugada, exigindo apoio médico para um homem que não precisava de ajuda. Seguiram-se as agressões.

Liga pede resposta
A Liga dos Bombeiros foi rápida a "repudiar" a violência exercida contra os bombeiros de Borba, exigindo ao Governo "uma resposta urgente para aumentar a segurança nos quartéis".

Criados em 2008
Os contratos locais de segurança foram criados em 2008, no âmbito da estratégia para a segurança do Governo de então.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)