Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Coronel acusado de agredir jovens

Várias denúncias contra o comandante territorial da GNR de Évora, coronel João Andrade e Sousa, levaram o Comando-Geral da instituição a levantar um processo disciplinar e a afastar, na quinta-feira, o oficial do cargo, assumido há apenas sete meses.
20 de Maio de 2012 às 01:00
Coronel Andrade e Sousa dirigiu a GNR de Évora apenas sete meses

Entre as situações relatadas nos documentos, que levaram o comandante-geral da GNR, tenente-general Newton Parreira, a instaurar um inquérito há três meses, estará a dificuldade de relacionamento com os militares, bem como o envolvimento do coronel num confronto físico entre militares e um grupo de jovens, durante um jantar em Évora. Fonte ligada ao processo referiu, contudo, que a versão do coronel garante que nessa noite tentou apaziguar os confrontos e até chamou a PSP.

O CM contactou ontem o coronel Andrade e Sousa, que recusou prestar declarações. O CM também não obteve qualquer esclarecimento do Comando-Geral. Sabe-se apenas que partir de amanhã, o coronel, de 48 anos, irá desempenhar funções no Comando da Administração de Recursos Internos da GNR, em Lisboa. O Comando de Évora da GNR será dirigido interinamente pelo segundo-comandante, tenente-coronel Saldanha Martins.

AGRESSÃO ÉVORA CORONEL COMANDANTE GNR
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)