Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Corpo de Intervenção patrulha sem receber

Era suposto trabalharem doze horas, descansarem 24 e fazerem mais 12. Contudo, os cem operacionais do Corpo de Intervenção (CI) destacados para o bairro da Bela Vista, em Setúbal, onde na quinta-feira começaram os tumultos, cedo perceberam que as contas são quase ao contrário: "Entram às oito da manhã e saem às sete da manhã do dia seguinte. Depois descansam umas poucas horas e voltam ao trabalho. Mesmo os que não regressam estão de prevenção", contou ontem ao CM uma fonte policial, acrescentando. "Aliás, só há uma certeza que eles têm: entram às oito e nunca sabem a que horas saem."
13 de Maio de 2009 às 00:30
Agentes do Corpo de Intervenção de serviço na Bela Vista não recebem ajudas de custo nem horas extras
Agentes do Corpo de Intervenção de serviço na Bela Vista não recebem ajudas de custo nem horas extras FOTO: Rui Minderico/Lusa

Os operacionais do CI obrigados a este esforço são ainda credores de ajudas de custo por cada dia de trabalho que efectuam fora do quartel sede da unidade – situado na Calçada da Ajuda, Lisboa. Tal como o CM noticiou em Novembro de 2008, esta dívida cifra-se em cerca de 45 euros por dia. Todo o efectivo operacional do CI, cerca de 500 elementos, é credor.

"Desde o Verão de 2008 que a dívida está por regularizar", disse ao CM Peixoto Rodrigues, presidente do Sindicato Unificado de Polícia. O serviço de reforço de patrulhamento feito no bairro da Bela Vista está também, ao que parece, a ser feito sem o pagamento das devidas horas extras.

"O Governo tudo pede aos polícias e nada dá em troca. Pedem sacrifícios ao pessoal do CI, sem o recompensar", diz ao CM António Ramos, do Sindicato de Profissionais de Polícia.

Entretanto, o contingente policial no bairro de Setúbal vai ser reduzido a metade, perante a relativa acalmia. Na madrugada de ontem viveu--se um verdadeiro jogo do gato e do rato entre a polícia e os jovens da Bela Vista, estes últimos a atearem pequenos fogos em vários caixotes de lixo.

Três jovens acabaram detidos pelos agentes da PSP: dois seguiam dentro de um carro roubado e outro não tinha carta de condução. Foram ainda identificados mais sete homens.

PORMENORES

ALIMENTAÇÃO

Fonte policial disse ao CM que os agentes das Equipas de Intervenção Rápida da PSP de Setúbal não se alimentam bem.

FALTA EQUIPAMENTO

Faltam também aos agentes equipamentos de protecção, como coletes e caneleiras.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)