Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

CORPO RESGATADO NO MINHO PODERÁ SER DE TAXISTA

Tudo indica que o corpo resgatado anteontem do mar em Viana do Castelo será o do taxista da praça de Sesimbra desaparecido desde a manhã de terça-feira. Segundo o CM apurou, o cadáver apresenta as mesmas características físicas e vestuário de Albino Miranda de Freitas.
27 de Abril de 2003 às 00:47
Entretanto, o táxi com que o homem trabalhava foi encontrado ontem de manhã num parque de estacionamento da Baixa de Lisboa, onde foi estacionado pelo próprio na manhã do dia do desaparecimento.
As autoridades policiais continuam a investigar o caso, embora tudo aponte para a não existência de indícios de crime.
O corpo foi descoberto pelas 18h30 de anteontem a boiar junto ao barco turístico Gil Eanes, na Doca de Viana do Castelo. A Polícia Marítima local enviou ontem à tarde uma comunicação à GNR de Sesimbra dando conta que o cadáver apresentava as mesmas características do taxista desaparecido, nomeadamente a mesma altura, idade e vestuário (roupa e calçado).
A GNR e a PJ de Setúbal encontravam-se, nessa altura, a efectuar deligências na zona de Sesimbra para encontrar Albino Freitas, de 63 anos.
Isto após, logo pela manhã, terem encontrado o táxi com que o homem trabalhava. O Citroën Xsara Picasso, matrícula 01-19-SN, estava no parque de estacionamento subterrâneo da Praça do Município, na Baixa de Lisboa. Segundo se apurou, a viatura foi ali estacionada, na manhã de terça-feira, pelo próprio taxista.
O táxi encontrava-se trancado e sem sinais de assalto. No seu interior estava, inclusive, o telemóvel de Albino Freitas. A viatura foi aberta com recurso a uma segunda chave e rebocada, tendo sido sujeita a exames periciais pela PJ.
sem indícios de crime
Embora na altura do resgate do corpo, o delegado de Saúde de Viana do Castelo tenha suspeitado da existência de crime, ao verificar que o cadáver apresentava lesões na cabeça (chegando a pedir a actuação do Ministério Público), tudo indica, segundo exames entretanto efectuados, que tal não se confirma.
O cadáver resgatado do mar encontrava-se ontem por reclamar na morgue do Centro Hospitalar do Alto Minho, embora o Correio da Manhã tenha apurado que duas pessoas tenham observado o corpo resgatado.
A Polícia Judiciária prossegue investigações para uma cabal resolução do caso.
É que ainda falta descobrir como o homem se terá deslocado de Lisboa para Viana do Castelo e como terá ocorrido a sua morte.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)