Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

CORPO RETIRADO DA RIA

O corpo de um dos pescadores que, na madrugada de domingo, tinham desaparecido na Ria de Aveiro foi resgatado ao início da manhã de ontem, por volta das 10h30, junto à Friopesca, na Gafanha da Nazaré, a cerca de quatro quilómetros do local onde se deu o afogamento. Manuel Cecílio, de 41 anos, foi encontrado por um outro pescador que se encontrava naquela zona.
24 de Dezembro de 2002 às 00:00
“Já sabia que não o ia encontrar vivo, mas agora, pelo menos, vou poder dar-lhe uma última morada, sei que vai ficar perto de mim e poderei visitá-lo sempre que quiser”, afirma Rosa Silva, mulher de Manuel Cecílio, acrescentando: “Apesar da tragédia, hoje sinto-me mais contente por ele ter sido resgatado. Era horrível saber que ele andava perdido nas águas da ria.”

Para esta família, o Natal deixou de fazer sentido e este ano não se comemora nada. “Nesta altura a família costumava estar toda reunida, mas agora é impossível: falta um dos principais elementos. Ele é que era o chefe de família”, lamenta Rosa Silva.

Este tipo de sentimento é partilhado pelos familiares de João Cecílio, cujo corpo ainda não foi encontrado. “Não há Natal para ninguém, principalmente porque nem se sabe onde é que anda o corpo. A vontade é passar o dia junto às margens”, adianta Fátima Cruz, sobrinha.
Ao que foi possível apurar junto dos bombeiros, o corpo da vítima seguiu para a morgue do Hospital Infante D. Pedro, em Aveiro, para ser sujeito a autópsia.

Rosa Silva disse ao CM que o seu grande desejo de Natal era que o corpo do marido fosse liberado, para que o funeral se possa realizar antes do dia 25. Esta situação é muito dolorosa, e enquanto ele não tiver um funeral digno será ainda pior.”
Ver comentários